CURIOSIDADES

Quanto mais proibição, mais tráfico.

Quebrando o Tabu
Author
Quebrando o Tabu

Por Fábio Chap

Quanto mais proibição, mais tráfico.

 

Beck dá lucro. Como açúcar dá lucro, como Coca-Cola dá lucro, como marcas de café dão lucro. Talvez você até pense que o mundo seria melhor se consumíssemos menos açúcar, menos Coca-Cola e menos café. Mas aposto que você não acredita que proibir a venda de açúcar, Coca-Cola e café seja a melhor saída, certo? Porque, como geral curte um brigadeiro, um refri e um café relaxante, a sociedade iria continuar consumindo esses produtos mesmo que eles fossem proibidos, certo? Por que então você pensa diferente pro beck? Pra maconha? Pro baseado?

Quanto mais proibição, mais tráfico.

 

Hoje pra quem o beck dá lucro? Pro tráfico e pro crime organizado. E quando falo tráfico e crime organizado não parto do pressuposto que só tem preto pobre envolvido, não. Tem muito bacana na cadeia produtiva (e distributiva) das drogas. O preto pobre só trabalha no Varejo. O atacado é composto de 'senhores de bem'.

Quanto mais proibição, mais tráfico.

 

Pra quem o beck poderia dar lucro se fosse legalizado? Pequenos agricultores, inclusive da periferia, que vendam maconha e produtos derivados dela, mas, a partir desse momento sem violência envolvida no processo. Poderão vender localmente e também via lojas virtuais pra todo o Brasil. As experiências internacionais com a legalização apontam uma redução grande nos índices de violência.

Quanto mais proibição, mais tráfico.

 

A quem a guerra às drogas prejudica mais? Principalmente policiais e moradores de periferia. Em geral são negros, homens e jovens. E essa história se repete por todo Brasil. Morre policial honesto e morre policial bandido. Morre morador honesto e morre morador bandido. É uma bola de neve armamentista. Onde policiais e traficantes comercializam ou disputam armas em verdadeiras batalhas urbanas. É guerra.

Quanto mais proibição, mais tráfico.

 

Como fica a guerra polícia X tráfico se a maconha for legalizada? Primeiramente será observada uma diminuição massiva do número de encarceramentos. Depois, uma diminuição relevante no número de homicídios. Uma vez que haverá menos motivos para intervenções militares na quebrada, vão morrer menos moradores e menos policiais. A polícia poderá se focar no combate ao tráfico de armas e não vai mais ficar enxugando gelo; correndo atrás de pivete com pochete.

Quanto mais proibição, mais tráfico.

 

Como fica a guerra polícia X tráfico se a maconha for mantida proibida? Vai continuar morrendo morador inocente, policial inocente, morador bandido, policial bandido. Talvez o número de 60 mil homicídios por ano aumente. Inclusive, essa é a realidade dos últimos anos. A cada ano sobe mais e mais o número de mortos nessa guerra. Vale sempre enfatizar: é mais morte (por ano) do que na Guerra da Síria.

Quanto mais proibição, mais tráfico.

 

É possível erradicar o uso de maconha no Brasil e no mundo? É possível acabar com o uso de açúcar, café e Coca-Cola? Não, né? Da maconha também não. Melhor a gente enxergar a realidade e trabalhar a partir daí. Quanto mais proibir, mais formas de comercializar ilegalmente vão encontrar. Já morreu gente demais por conta de uma simples planta que se provou bem menos prejudicial - por vezes, até medicinal - do que diversas substâncias legalizadas em nossa sociedade.

**

Por quê você não escreveu nada sobre o uso medicinal da maconha; que, de longe, é o tema mais importante pra ser debatido? Prefiro deixar esse aspecto para profissionais da saúde. Entendo pouco, sei pouco, mas sei que é um absurdo constrangedor impedir o acesso de doentes ao medicamento que pode curá-los. Ter que entrar na justiça pra poder medicar um filho/uma filha? Vergonha, Brasil. Vergonha.