POLÍTICA

A fome dos deputados em 2016

Rodolfo Viana
Author
Rodolfo Viana

Em 2016, a Câmara dos Deputados recebeu R$ 1,48 milhão em pedidos de reembolso de alimentação por meio da cota parlamentar, a antiga verba indenizatória a que todo deputado tem direito. Gozaram do benefício 375 nomes.

Se a gente tomar comida por partido, a maior fatia ficou com o PMDB: quase R$ 205,2 mil. Em seguida vieram PT (R$ 180,7 mil) e PP (R$ 148,6 mil).

Isso é justificável: essas siglas tinham muitos deputados na Câmara no ano passado --PMDB contava com 54 nome; PT, 47; PP, 32-- e a proporção de reembolso é maior. 

Os cinco partidos mais "fominhas" em 2016, no total:

1. PMDB - R$ 205.186,20
2. PT - R$ 180.778,30
3. PP - R$ 148.636,62
4. PR - R$ 130.983,27
5. DEM - R$ 119.702,49

Os cinco partidos menos "fominhas" em 2016, no total:

1. PSL - R$ 3.169,60
2. PRTB - R$ 2.979,63
3. Pros - R$ 2.497,43
4. Psol - R$ 2.373,55
5. PT do B - R$ 793,53

O cenário muda de verdade se a métrica for outra.

Por cabeça  --ou seja, o valor médio por deputado de cada partido -- , o topo da lista de indenizações ficou com o PPS: R$ 6.897,33 para cada parlamentar. O PDT, segundo lugar, está colado, com média de R$ 6.406,10 por deputado, seguido pelo Solidariedade, com R$ 5.699,88 por cabeça.

Os menos famintos são os deputados do Pros. Em média, cada dos quatro parlamentares reembolsou R$ 624,36 ao longo de 2016.

Os cinco partidos mais "fominhas" em 2016, por média (valor por deputado):

1. PPS - R$ 6.897,33
2. PDT - R$ 6.406,10
3. Solidariedade - R$ 5.699,88
4. PR - R$ 5.239,33
5. DEM - R$ 5.204,46

Os cinco partidos menos "fominhas" em 2016, por média (valor por deputado):

1. Pros - R$ 624,36
2. Psol - R$ 791,18
3. PT do B - R$ 793,53
4. PEN - R$ 1.366,68
5. PSL - R$ 1.584,80

MAIS E MENOS ESFOMEADOS

Roberto Freire (PPS) foi o campeão de reembolsos com alimentação, com R$ 28,7 mil --valor quase equivalente às indenizações somadas dos 94 deputados mais econômicos.

Outros dois deputados passaram a marca de R$ 20 mil no ano passado: Zeca Dirceu (PT), com R$ 24,7 mil, e Luiz Carlos Ramos (PTN), com quase R$ 21,5 mil.

No extremo oposto está André Amaral (PMDB), que pediu reembolso de apenas R$ 4 no ano todo.

Cinco deputados com maiores reembolsos de alimentação em 2016:

1. Roberto Freire (PPS) - R$ 28.710,48
2. Zeca Dirceu (PT) - R$ 24.780,44
3. Luiz Carlos Ramos (PTN) - R$ 21.497,67
4. José Carlos Araújo (PR) - R$ 18.256,77
5. Rogério Peninha Mendonça (PMDB) - R$ 17.671,14

Cinco deputados com menores reembolsos de alimentação em 2016:

1. André Amaral (PMDB) - R$ 4
2. Valmir Assunção (PR) - R$ 19
3. Alexandre Baldy (PTN) - R$ 20,50
4. Gabriel Guimarães (PT) - R$ 23,15
5. Ricardo Izar (PP) - R$ 23,77