AMOR

FETICHE

dissimulada
Author
dissimulada

“O QUE EU FAÇO PARA GANHAR UM BEIJO SEU?”

2016: Num simples sábado eu marquei uma social com os meus amigos, foi no condomínio. No inicio estava monótono, mas logo, logo a cachaça entrou e a animação tomou conta. Eu e minha amiga tentamos fazer suco gummy, não deu certo, era pra pôr 1 suco ou metade e a gente botou 3 pacotes inteiros, 2 halls e colocamos um pacote... Mas o que importa é que bebemos. A gente estava na área do condomínio, porem meu amigo preferiu transferir a social pra casa dele e todos foram. Já tinha uma galera legal, só que estava prestes a chegar mais um pessoal. E então chegou... Meu outro amigo, mais quatro meninos e dentre eles um me chamou atenção “ELE”. Forte de costas e usava uma camisa rosa, era bonito e logo as meninas começaram a querer ele, me pediram até pra ajeitar e eu tentei ajeitar. Comecei minha brincadeira, ela usa cartas e cada carta a uma função, ele tirou uma carta na qual se beijava alguém e eu nem me importei se ele iria me chamar ou não. Eu sou daquele tipo que banca a cúpida e queria que ele chamasse a menina que me pediu pra ajeitar ele, porem quando ele fez sua escolha e confirmou meu pensamento que iria escolhê-la eu gostaria que ele não a beijasse e foi então que se levantou na direção dela e deu um selinho e olhou pra mim como se tivesse me falando “calma, não vou ficar com ela” e não sei por que aquilo me alegrou, ela reclamou que gostaria de um beijo de língua, mas ele nem ligou e continuar a me olhar com aqueles olhos. Desde que ele chegou, eu não estava olhando diretamente para ele, não estava querendo prestar atenção... Ate que resolvi averiguar, o olhei do pé a cabeça e então reparei... ELE ERA A CARA DO EX-AMOR (OU AMOR) DA MINHA VIDA. A marra, o jeito como me comia com os olhos, a curiosidade em mim, a boca, o nariz.. Eu que não estava interessada fiquei um tanto quando ele começou a me chamar repetidas vezes ao longo da brincadeira. E ele gritava “vem cá, me ensina”, “ei”, “venha aqui”, “me dê atenção”... E eu tentava me sair o máximo. Eu estava o tempo todo com jimmy (o macaquinho de pelúcia do meu amigo).Até que o amigo dele tirou uma carta o mandamento era chamar uma menina fazer uma dança sensual e dar bebida na boca dela. E geral falou “chama a do macaquinho” o amigo dele me escolheu, ele disse que não sabia dançar e veio no meu ouvido e ele me olhava pedindo “não ceda, me espere como eu esperei você” dei um sorrisinho e me sai (acho que o amigo dele queria ficar comigo). Então ele não esperou mais e começou a gritar “Qual a carta que eu devo tirar para beijar sua boca?”. Eu já estava sem jeito, ele começou a dar em cima cafajestemente, eu sentava em um local e ele vinha e sentava do meu lado. Eu fiz muito doce. Até que eu estava conversando com uma amiga numa parte escura da casa e ele chegou “vamos ali conversar, dividir um cigarro.” e eu fui. Fomos para frente da casa onde não tinha ninguém e ficamos conversando e ele falando que me queria, encostamo-nos ao carro e ele me puxou pra perto, beijou meu rosto e veio pra boca e ai eu recuei. Ficamos fazendo isso varias vezes ele vinha e eu saia, até que eu comecei a andar e ele veio atrás de mim, paramos em um local e ele me puxou novamente a essa altura do campeonato eu já não tinha mais forças “eu o beijei”. Ele me puxava forte, enroscava seus dedos no meu cabelo até que quando ele me deu uma pegada mais forte o macaquinho que estava no meu pescoço fez um barulho (risos) e ele me perguntou se era algum medidor de limites. Eu voltei lá pra dentro da casa e disse pra ele não comentar sobre nós termos ficado e ele não quis, quando nos aproximávamos da casa ele me jogou na parede e me beijou. Eu entrei como se nada tivesse acontecido e estava tudo tranquilo, os amigos dele começaram a ir embora e eu imaginei que ele iria também e então ele me olhou novamente intenso e veio falar “não vou embora, eu quero ficar com você”. E toda hora eu achava que ele ia embora e ele me abraçava falando que só iria embora se eu o mandasse. Ele disse “vamos pro carro” e eu fui. A gente se beijou, eu subi em cima dele e ele me beijava o pescoço. Minha amiga me ligou falando que estava indo pra e que era pra eu avisar aos meninos pra eles não irem embora ai eu fui, e ele me disse “você vai me deixar aqui sozinho?” e eu sorri e disse que era rápido. Quando voltei eu voltei com uma flor, ele a segurou a noite toda até que jogou ela no meu decote e disse “mais tarde eu pego” eu apenas rir. O pessoal resolveu ir embora e nós também ele me perguntou pra onde iriamos e eu disse “casa” e então ele disse “motel” eu fiquei pasma e disse que não, e então ele sorriu cafajestemente e disse “entra no carro, eu te convenço” e eu fui. Viemos para a porta da minha casa e então a gente foi pro banco de trás ele me beijou intenso, eu arranquei sua camisa, ele quis tirar a minha e eu fiz boa moça, até que eu me entreguei e ele me perguntou novamente “vamos para um motel” e eu fui. Ele estava com pressa, assim que chegamos ele correu e eu comecei a rir, ele tirou minha blusa e adivinha o que caiu? (tirando minha cara) a flor que ele disse que pegava mais tarde. Safado. E então eu subi em cima dele e assim foi a noite toda, depois de tudo ele ficou abraçado comigo. Vim para casa e ele pediu meu numero e estamos conversando, ele não mora aqui mas logo logo vem pra ca... me desejem sorte.

São João 2016...

Eu sabia que ele estava na cidade, ele me avisou mas a gente não estava se vendo até que um dia após terminar o são João logo de manhã.

11;26

“Estava lindo ontem” “Você me viu?” e eu disse que sim, ele me perguntou porque não fui falar com ele e eu dei uma de doida porque eu não o vi, mas fiz aquilo para puxar assunto e ele respondeu “Porque não nos vemos agora?” e eu fui.

Enfim foi aquela coisa toda, mas não foi como a primeira vez. No entanto, continuo encantada com ele, ele está vindo morar aqui novamente. Será que vai sair mais disso???? Ou acaba por aqui???

A REALIDADE: E lá vem aquela droga de clichê, nem tudo é o que parece, nem todas as coisas boas duram para sempre, o que é bom dura pouco, a realidade é outra bebê.

Eu acompanhava ele nas redes sociais, ate que ele postou uma foto da formatura, me empolguei inteira, ele estava vindo morar aqui. A gente sempre conversava uma coisa aqui e outra ali, mas marcava e nada saia, ou era culpa minha ou dele. Até que marcamos algo e ele foi um grosso, “Não é tudo na hora que você quer, tenho minhas coisas”. Ahhhhhh se fuder, abri de mão, apaguei o numero etc. A chupada dele era uma delicia, mas eu preferia minha paciência.