A cidade não para
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
A cidade não para
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
A cidade não para
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Belém tem primeira cooperativa de táxi do país só de motoristas mulheres

Sheila Vieira
há 2 anos34 visualizações

Com relatos de assédio em táxis e Ubers cada vez mais comuns, muitas mulheres procuram taxistas mulheres na hora que precisam. Pensando neste público, a motorista Francinete Matos criou em Belém uma cooperativa só com taxistas mulheres: a Lady’s Táxi.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Belém tem primeira cooperativa de táxi do país só de motoristas mulheres

Francinete juntou 15 motoristas na cooperativa e o serviço é disponível 24 horas por dia, por três números de telefone. Se você mora em Belém e está interessada, clique no link abaixo para ver a página delas no Facebook:

O modelo já existe em outros países. Em Nova York, o aplicativo SheRides foi lançado no final de 2014 e funciona como o Uber, com o cliente aprovando a motorista, detalhando o trajeto e pagando direto no cartão. 

A empresa sofreu críticas por discriminar homens, já que seria ilegal rejeitar passageiros por conta de gênero. A SheTaxis/SheRides não se nega a atender clientes homens, mas deixa claro em seu marketing que seu público alvo são mulheres.

A novidade chegou a países com altíssimos índices de assédio sexual, como o Egito. A empresa egípcia Pink Taxi também só tem motoristas mulheres e seus carros possuem um esquema especial de segurança: os clientes precisam mandar uma cópia de sua identidade para pedir uma corrida e os veículos têm câmera, microfone e um botão que para o carro imediatamente.

Porém, o país pioneiro no táxi feminino foi a Índia, com o She Taxis, desde o início de 2014. A organização que lançou o projeto, com o apoio do governo, pretende também criar uma cooperativa de ônibus dirigidos por mulheres. Quem não se lembra do brutal caso de estupro coletivo e assassinato em um ônibus em Nova Délhi há quatro anos? Infelizmente, casos como aquele continuam acontecendo:

Acho incrível que mulheres estejam montando seus próprios negócios e empregando mais mulheres. Eu confesso que também prefiro pegar uma corrida com uma taxista do que com um homem. Mas não é triste que em pleno século XXI nós ainda precisemos nos separar para estarmos seguras? Isso não seria uma espécie de “vagão rosa” dos táxis?

#femaletaxi #taxifeminino #pinktaxi #assediosexual #taxis

Revolução à vista: cápsula que viaja a 1100 km/h deve chegar em 2020

Sheila Vieira
há 2 anos17 visualizações

Uma empresa está prometendo revolucionar o mundo dos transportes: o Hyperloop é uma espécie de cápsula que viajará a 700 milhas por hora (mais de 1100 km/h) e tem previsão de lançamento em 2020.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Revolução à vista: cápsula que viaja a 1100 km/h deve chegar em 2020

Este veículo viajaria suspenso em tubos com baixa pressão atmosférica, permitindo que a cápsula encontre pouca resistência e assim possa atingir esta velocidade. Ao contrário de aviões, eles não precisariam de uma preparação enorme para decolarem, por serem menores. Como efeito de comparação, aviões comerciais costumam voar entre 800 e 900 km/h.

Uma viagem transportando carga que demoraria de oito a nove horas poderia ser feita de 15 a 20 minutos, segundo a chefia da Hyperloop. O empreendedor bilionário sul-africano Elon Musk promoveu o conceito em 2013 e desafiou engenheiros a fazer um design adequado: a UCLA é quem tem o projeto mais avançado.

Um dos desafios é fazer a viagem neste tubo ser confortável e que os passageiros só sintam a aceleração inicial e a frenagem, assim como em um avião. As estações também são projetadas tendo em vista que as pessoas não precisarão ficar tanto tempo esperando, já que as decolagens serão frequentes, como um metrô.

Assim como os trens mais modernos, como os da Linha Amarela de São Paulo, as cápsulas da Hyperloop não terão condutores humanos e, segundo a empresa, isso reduz o risco de acidentes.

Revolução à vista: cápsula que viaja a 1100 km/h deve chegar em 2020

Este é o trem sem condutor do metrô de São Paulo.

Na teoria, realmente parece algo revolucionário, mas há inúmeras questões que dificultam a prática. Primeiramente, você precisa construir este caminho de tubos despressurizados em centenas de quilômetros, algo infinitamente mais caro do que por trilhos no chão. Além disso, viajar de um país para outro assim demandaria um protocolo de segurança grande, o que já deixaria a preparação para a viagem similar à de um avião.

De qualquer forma, é bom ver que os grandes magnatas já entenderam que o transporte é uma questão fundamental das próximas décadas. Se não houver uma grande revolução nesta área, a tendência é que cada vez mais as pessoas vivam e trabalhem só por Skype.

Veja as primeiras cápsulas construídas:

#hyperloop #transporte #travel 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar