A sétima arte
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
A sétima arte
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
A sétima arte
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

10 filmes que a crítica detonou, mas o público adorou (como Batman vs Superman)

Sheila Vieira
há 2 anos13 visualizações
10 filmes que a crítica detonou, mas o público adorou (como Batman vs Superman)
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Na última semana, escrevi aqui sobre as preocupantes críticas de “Batman vs Superman”, que está com 29% de índice no Rotten Tomatoes, site que mede a popularidade dos filmes entre os críticos. No entanto, o público não poderia se importar menos com a opinião dos jornalistas e foi conferir a batalha entre os dois maiores super-heróis dos quadrinhos nos cinemas. “A Origem da Justiça” arrecadou US$ 424,1 milhões no mundo em sua semana de lançamento.

Não é novidade que críticos e público raramente têm opiniões parecidas. O motivo de esses filmes-pipoca serem feitos é justamente porque, apesar de não serem obras de arte, trazem retorno financeiro para os estúdios. Mas essas apostas acabam muitas vezes produzindo fracassos de crítica e audiência. Este não foi o caso dos filmes a seguir, que são verdadeiras pérolas, mas lotaram muitas sessões pelo mundo:

Piratas do Caribe: No Fim do Mundo (2007)

Índice do Rotten Tomatoes: 45%

Ian Winterton, da Film 4, disse: “Além de algumas risadas, efeitos visuais fantásticos e uma ponta do Keith Richards, isso é túrgido e cansativo”.

Bilheteria mundial: US$ 963,4 milhões (28º em todos os tempos)

Transformers: A Vingança dos Derrotados (2009)

Índice no Rotten Tomatoes: 19%

Mary F. Pols, da Time, escreveu: “O filme é como um encontro entre crianças infernais, quando um grupo de pequenos reduzem sua casa a destroços e fazem inúmeras encenações de guerras barulhentas no chão da sua ala, enquanto você pondera a possibilidade de abrir uma garrafa de vinho”.

Bilheteria mundial: US$ 836,3 milhões (47º em todos os tempos)

O Código da Vinci (2005)

Índice no Rotten Tomatoes: 25%

Amy Nicholson, do I.E. Weekly, publicou: “O que parece crível na página é ridículo na tela”.

Bilheteria mundial: US$ 758,2 milhões (62º em todos os tempos)

A Saga Crepúsculo: Lua Nova (2009)

Índice no Rotten Tomatoes: 29%

Michael Dequina, do Movie Report, escreveu: “A ostensiva heroína Bella é uma co-dependente tão fraca, carente e patética e que causa tanta merda para as pessoas que ela em tese ama, que é difícil ter algum interesse em torcer por ela”.

Bilheteria mundial: US$ 709,7 milhões

Os Smurfs (2011)

10 filmes que a crítica detonou, mas o público adorou (como Batman vs Superman)

Índice no Rotten Tomatoes: 22%

Will Leitch, do Deadspin, deu este pitaco: “Se o seu filho ama isso, seu filho precisa ler um livro, ou até jogar um videogame. Pelo menos dá para diferenciar os personagens no videogame”.

Bilheteria mundial: US$ 563,7 milhões

A Múmia: Tumba do Imperador Dragão (2008)

Índice no Rotten Tomatoes: 12%

Ali Gray, do Shiznit, escreveu: “Reze para que esta franquia esteja morta de vez agora”.

Bilheteria mundial: US$ 401,1 milhões

Velozes e Furiosos 4 (2009)

Índice no Rotten Tomatoes: 28%

Sam Bathe, do Fan the Fire, pediu: “Espero que este seja o último, mas depois do enorme dinheiro que ele já fez nos EUA, não fique surpreso se aparecer um quinto”. Mal sabia ele…

Bilheteria mundial: US$ 363,1 milhões

Quarteto Fantástico (2005)

Índice no Rotten Tomatoes: 27%

Julian Roman, do MovieWeb, publicou: “Quarteto Fantástico’ escolheu muito mal o elenco. É mal escrito, visualmente desinteressante e, pior de tudo, sem graça. O filme se arrasta consideravalmente. Há vários momentos sem nenhuma ação e isso prejudica muito o ritmo do filme”.

Bilheteria mundial: US$ 330,5 milhões

Resident Evil: Recomeço (2010)

Índice no Rotten Tomatoes: 23%

Ben Kendrick, do ScreenRant, opinou: “Mais um filme de zumbis do Resident Evil sem cérebro mas com ação exagerada suficiente para satisfazer o apetite de certos espectadores”.

Bilheteria mundial: US$ 296,2 milhões

Lara Croft: Tomb Raider (2001)

Índice no Rotten Tomatoes: 19%

Chris Stuckmann ponderou: “Lara Croft: Tomb Raider é incrivelmente bobo. Tão bobo, que talvez seja necessário respeitá-lo”.

Bilheteria mundial: US$ 274,7 milhões

PS: você deve estar se perguntando onde estão Star Wars Episódios I e II, Indiana Jones 4 ou Homem-Aranha 3 nesta lista. Por mais que seja um consenso atualmente que estes filmes são ruins, eles tiveram boas críticas quando foram lançados. Talvez seja o peso dos filmes anteriores bons destas franquias.

#films #cinema #movies #boxoffice #rottentomatoes #critics

Tomara que “Batalha dos Sexos” não seja mais um filme fanfarrão sobre tênis

Sheila Vieira
há 2 anos51 visualizações
Tomara que “Batalha dos Sexos” não seja mais um filme fanfarrão sobre tênis
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Em meio a uma grande discussão sobre premiação igualitária para homens e mulheres no tênis, a Fox confirmou a atriz Sarah Silverman no elenco de “Battle of the Sexes” (ainda sem tradução oficial), um filme com previsão de lançamento para 2017, que contará a história do jogo em que Billie Jean King derrotou Bobby Riggs em 1973.

Riggs, um campeão de Wimbledon que já estava aposentado, vivia de derrotar mulheres em exibições para provar que homens são seres superiores (aff) e acabou sendo batido por BJK, será interpretado por Steve Carell. Já a tenista, uma das nove mulheres fundadoras da WTA, terá Emma Stone como intérprete. Silverman será Gladys Heldman, fundadora da Tennis World Magazine e aliada de Billie Jean King na luta por reconhecimento do tênis feminino.

Tomara que “Batalha dos Sexos” não seja mais um filme fanfarrão sobre tênis

O filme é apresentado como comédia, mas realmente espero que isso indique apenas que o longa será leve. Afinal, fãs de tênis estão cansados de obras que colocam o esporte apenas como um pano de fundo ou uma desculpa para usar a raquete para agressões. Queremos uma história que realmente honre nosso esporte. Olha só o que já tivemos:

“Wimbledon - O Jogo do Amor”

É um filme bacana pelo que se propõe, mas só usou o tênis porque foi produzido na Inglaterra. Após fazer todos os tipos de comédias românticas com o Hugh Grant, os britânicos pensaram “Pera, a gente nunca fez um romance entre tenistas. Em Wimbledon!”. O filme de 2004 tem Paul Bettany como um veterano que caiu no ranking pensando em se aposentar e Kirsten Dunst como a promissora americana que o inspira a voltar a ser um campeão. A velha história do decadente que se rejuvenesce pelo amor de uma novinha.

“Match Point”

Mais um caso de “é na Inglaterra, então… tênis!”. Se você pensar, a profissão do personagem de Jonathan Rhys Meyers no drama londrino de Woody Allen poderia ter sido trocada sem afetar a trama principal, que é sobre um cara roubando a noiva do amigo e virando um criminoso. Porém, devo admitir que o conceito do momento decisivo, em que você faz uma escolha e ao mesmo tempo conta com a sorte para definir sua vida, caiu como uma luva no roteiro.

“Gary: Um Treinador Muito Louco”

Este já é mais obscuro e tosco: é uma comédia com Sean William Scott, que foi lançada diretamente em DVD. O ator de “American Pie” é um zelador que junta um grupo de pessoas para disputar um torneio de tênis estadual em Nebraska. Não vi e não gostei.

“Guerra dos Sexos”

É sobre a partida entre BJK e Riggs, mas produzido pela emissora americana ABC somente para a TV. Acho que uma história como esta realmente merecia algo maior.

“Tennis, Anyone…?”

Esta comédia de 2006 conta a história de dois atores fracassados de Hollywood que decidem ganhar dinheiro disputando torneios de tênis entre celebridades. Ou seja, filme de tiozões se divertindo sendo tiozões. Parece super interessante, né? #not

“Pacto Sinistro”

Este filme de Alfred Hitchcock de 1951 tem uma pinta de “Match Point”, com um tenista envolvido em um crime. O jogador quer se divorciar de sua mulher e um assassino propõe um pacto para que ele a mate e o tenista tire a vida do pai dele. O protagonista não aceita, mas o psicopata faz a sua “parte” e exige que o atleta faça a dele. 

“Tom e Jerry: Os Reis da Raquete”

Ok, já estou apelando, mas a lista terá este curta-metragem do gato e do rato mais famosos da televisão usando todos os aparatos do tênis para se agredirem.

“Jocks”

Vou mostrar apenas o pôster para vocês entenderem o nível:

“A Mulher Absoluta”

Nesta comédia romântica de 1952, Katherine Hepburn é uma tenista e golfista que quer ser atleta, mas é desencorajada por seu noivo. Até aí, bem legal. Mas como ela se livra deste problema? Contando com a ajuda de seu treinador, pelo qual ela obviamente se apaixona. Meh…

Sério, galera de Hollywood, dá para melhorar bastante isso aí. Há historias de tênis para serem contadas que não sejam uma reciclagem de outras tramas esportivas ou caras que usam raquetes para serem pessoas horríveis. Se for para continuar assim, melhor não fazer.

#tennis #movies #wimbledon #matchpoint #tennisfilms #battleofthesexes

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar