Desabafos aleatórios
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Desabafos aleatórios
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Desabafos aleatórios
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Coisas que você fazia na infância e as crianças de hoje não podem mais

DeTudoUmPouco
há um ano49 visualizações
Coisas que você fazia na infância e as crianças de hoje não podem mais
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Quando você lembra da própria infância, surge apenas uma pergunta em sua cabeça: "COMO EU NÃO MORRI?".

Nós, que já somos adultos há um bom tempo, tínhamos uma liberdade muito maior para viver e brincar fora da sala de estar da nossa casa. Hoje em dia, os pequenos são apenas transferidos entre espaços fechados: quarto, escola, carros e de vez em quando um parque com três adultos responsáveis de olho.

Claro que tudo tem um motivo: a oferta de informação hoje em dia é muito maior e percebemos que crianças são a todo momento vítimas de acidentes e adultos mal intencionados. Mas é impossível não sentir uma pequena nostalgia da nossa época e dos desafios que encaramos desde cedo. Estas são as coisas que as crianças de hoje em dia não podem mais fazer:

Andar no banco de trás sem cadeirinha ou cinto de segurança

Quando você teve um filho e te falaram que era obrigatório ter uma cadeirinha, você tomou um choque, lembrando de todas as vezes em que viajou para a praia no colo da sua irmã mais velha (porque obviamente o carro estava mais cheio do que o permitido). Cinto de segurança? Você ainda não se acostumou a colocar nem no banco da frente e fica tentando alargá-lo sem sucesso.

Coisas que você fazia na infância e as crianças de hoje não podem mais

Brincar na rua sem supervisão

Depois da escola e do almoço, o próximo passo não era ligar a TV ou o computador, mas sim se juntar às outras crianças do bairro para brincar de alguma coisa. Os pais só davam uma olhadinha a cada uma hora para ver se ninguém morreu e só. Atualmente, ir no playground do condomínio já é considerado um passeio. Haja videogame!

Voltar sozinho para casa da escola

A impressão que temos atualmente é de que 50% dos carros na rua são vans escolares. Ninguém mais vai a pé para a escola, muito menos volta para casa caminhando. Agora você se recorda de como teve sorte de nunca ter cruzado com um pedófilo na rua.

Coisas que você fazia na infância e as crianças de hoje não podem mais

Ir na casa de amigos que seus pais não conheciam

Você talvez só pedisse para seus pais te levarem na casa do colega e deixava um telefone para eles ligarem em caso de emergência. Mas, na maior parte das vezes, eles nem sabiam o nome do seu amigo que estava dando a festinha, qual era o cardápio no local ou se teria gente mais velha no rolê.

Ficar na porta da escola conversando com os colegas

Tinha gente que ia para a escola só para isso! Trocar uma ideia após a aula, paquerar o/a coleguinha, jogar baralho e afins. Só depois todo mundo partia para o seu lar, já combinando o que fariam à tarde.

Coisas que você fazia na infância e as crianças de hoje não podem mais

Nadar em piscinas públicas

Ok, ainda tem muita gente que faz isso, mas bem menos do que antigamente. Nem passava pela nossa cabeça (ou pela do nossos pais) que aquelas águas provavelmente tinham todos os tipos de micoses (e coisas piores) do mundo. Todo fim de semana você mergulhava com gosto em uma água tão poluída quanto a do mar.

Coisas que você fazia na infância e as crianças de hoje não podem mais

Empinar pipa e jogar futebol ou vôlei no meio da rua

Não era na calçada ou em uma pracinha. ERA NO MEIO DA RUA MESMO. De vez em quando vinha um carro e todo mundo afastava, depois voltava. Hoje em dia, difícil achar uma rua em que seres humanos não passem achando que são o Vin Diesel em “Velozes e Furiosos”, sem falar nos ônibus. Já era.

Cada época tem suas vantagens e desvantagens. Ficar mais tempo na rua provavelmente ensinou muita coisa que as crianças de hoje só aprendem no final da adolescência ou quando adultas. Por outro lado, é impossível negar que os novinhos da atualidade estão muito mais seguros de qualquer tipo de violência do que a gente estava.

Será que no futuro as crianças simplesmente não brincarão mais?

#kids #playing #fun #infancia #brincadeiras 

Tudo que você precisa saber antes de tentar doar sangue

DeTudoUmPouco
há um ano51 visualizações
Tudo que você precisa saber antes de tentar doar sangue
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Muita gente acha que, só porque há vários pacientes precisando de doações de sangue, basta chegar ao hospital e apresentar o seu bracinho. Mas não é assim. Há muitos requisitos a que você precisa atender para ser um doador. Veja se você se encaixa neles antes de perder seu tempo e ser barrado na entrevista com o médico:

Requisitos básicos para ser um doador:

Você pode doar sangue a partir do 16 anos. Porém, antes de completar 18, você precisa apresentar um formulário de autorização dos seus responsáveis. Algums hemocentros também exigem a presença deles.

Você pode ter até 69 anos, 11 meses e 29 dias (também conhecido como ter menos de 70 anos). No entanto, você já deve ter doado antes dos 60 para poder doar agora.

Você precisa ter 50kg ou mais.

Não apareça em jejum! É preciso estar devidamente alimentado, mas sem ter ingerido comidas muito gordurosas no intervalo de três horas antes da doação. Ou seja, evite ir logo depois do almoço.

Não apareça após passar a noite em claro. Você precisa ter dormido pelo menos seis horas das últimas 24.

Requisitos temporários para ser um doador (essas são as que mais impedem as pessoas):

Não apareça no hemocentro gripado, resfriado ou com febre. Espere sete dias sem sintomas.

Não tente doar sangue se estiver grávida.

Depois de dar à luz, espere 90 dias (parto normal) ou 180 (cesariana).

Caso ainda esteja amamentando, também não tente.

Bebeu nas últimas 12 horas? Não perca seu tempo.

Fez tatuagem ou piercing nos últimos seis meses? Vetado. Inclusive brincos no lugar tradicional da orelha (experiência própria).

Fez alguma endoscopia nos últimos seis meses? Tchau.

“Comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis” nos últimos 12 meses. O que significa isso? Transar com um parceiro “casual”. O que é um parceiro “casual”? Os hemocentros não falarão isso, mas é basicamente transar com um parceiro não-fixo.

Impedimentos permanentes:

Hepatite após o 11º aniversário: Recusa Definitiva; Hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos: recusa definitiva; Hepatite por Medicamento: apto após a cura e avaliado clinicamente; Hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo médico da triagem.

Se tem hepatites B ou C, vírus HIV, doenças associadas ao vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.

Se usa drogas ilícitas injetáveis.

Se tem malária.

Impedimentos para voltar a doar:

Homens precisam esperar um intervalo de 60 dias para doarem novamente.

Mulheres precisam esperar 90 dias para voltar ao hemocentro.

Em um período de um ano, homens podem doar quatro vezes. Mulheres podem três vezes em 365 dias.

É muita coisa, não? Então vá ao hemocentro só quando preencher todos os requisitos da lista!

#doaçãodesangue #blooddonation 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar