ESPORTES

Djokovic enfim tem vantagem no confronto direto com todos os rivais do Big 4

Sheila Vieira
Author
Sheila Vieira

PARECE QUE O JOGO VIROU, NÃO É MESMO?

Novak Djokovic é o melhor tenista do mundo há pelo menos cinco anos. Mas as temporadas anteriores a 2011, quando mais perdia do que ganhava de Roger Federer e Rafael Nadal, ainda impediam que ele tivesse retrospecto positivo contra todos os seus rivais do "Big 4". Esta barreira foi finalmente quebrada nesta quinta-feira.

A vitória contra Federer na semifinal do Australian Open foi a 23ª do sérvio em 45 confrontos. Há três semanas, em Doha, fez o mesmo com Nadal, passando à frente com 24 a 23. Seu histórico contra Andy Murray sempre foi positivo, mas teve momentos mais acirrados no passado. Vamos dar uma olhada em como Nole ~virou este jogo~:

Contra Federer

A rivalidade começou em 2006, quando Federer estava no seu auge, e o suíço venceu os quatro primeiros jogos. A primeira vitória de Djokovic aconteceu na semifinal do Australian Open de 2008, seu primeiro título de Slam. Após 15 confrontos, o suíço liderava por 10 a 5. Em 2011, Djokovic enfim venceu mais do que perdeu jogos para Federer em uma temporada: 3 a 1. Porém, a derrota em questão foi bem sofrida, já que interrompeu uma série de 43 triunfos de Djokovic e adiou o seu sonho de virar número 1. Nole bateu Roger no US Open, salvando dois match points, e diminuiu a desvantagem ainda grande para 14 a 10.

Em 2012, foram três vitórias de Djokovic em cinco jogos. O sérvio passou invicto pelo rival em 2013, 2 a 0. Voltou a ter desvantagem em 2014, 3 a 2 para Federer. Porém, já estava bem mais próximo de tomar a liderança da rivalidade. Os cinco triunfos em oito jogos de 2015 deixaram os dois igualados e o quase-passeio desta semana desempatou o H2H.

Contra Nadal

Até o final de 2008, o espanhol havia vencido 10 de 14 jogos contra Djokovic. A distância só aumentou nos dois anos seguintes, para 16 a 7. O jogo *começou a virar* em 2011, quando o sérvio conseguiu incríveis seis vitórias consecutivas diante de Nadal. 16 a 13. O espanhol ainda segurou a onda em 2012 e 2013, mas este foi o último ano em que o Touro Miúra mais venceu do que perdeu para o tenista de Belgrado. Estava 22 a 17.

Em 2014, Djokovic levou a melhor em dois de três confrontos. Já em 2015, temporada bem complicada para Nadal, foram quatro triunfos do sérvio e nenhum do espanhol. Empatados em 23. O tira-teima veio em Doha, torneio preparatório para o Australian Open deste ano, no qual Rafa levou um 6/1 e 6/2.

Claro que Federer e Nadal ainda podem reverter a situação. A diferença é de apenas uma vitória, para ambos. Porém, é bastante provável que Djokovic termine a carreira com retrospecto positivo diante de dois dos melhores da história. Ou seja, está mais do que na hora de colocá-lo no mesmo grupo.

#tennis #djokovic #federer #nadal