Isso é tênis, amigo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Isso é tênis, amigo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Isso é tênis, amigo
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Esses sortudos jogaram tênis com o Marcelo Melo

Sheila Vieira
há 2 anos10 visualizações

Você que sofre para marcar aquela partida de duplas com os colegas há semanas, ouvindo que o joelho de um está acabado, que o aluguel da quadra tá 200 dilmas, que as quadras públicas são muito disputadas, que o grip da raquete está desgastado: prepare-se para morrer definitivamente de inveja.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Dois caras de São Paulo, Gabriel e Marcos, tiveram a chance de jogar tênis com o Marcelo Melo, o número 1 do ranking mundial de duplas, como parte de uma ação publicitária da fornecedora de material esportivo do tenista mineiro. 

Melo viveu uma temporada histórica em 2015, com o título de Roland Garros, dos Masters 1000 de Xangai e Paris, e dos ATPs 500 de Acapulco, Tóquio e Viena. Os resultados o levaram à liderança do ranking mundial no final de 2015. Ele concorreu ao Prêmio Brasil Olímpico nas categorias Atleta do Ano e Atleta da Torcida além de, claro, ter vencido na modalidade Tênis.

Após ter passado boa parte das "férias" jogando a IPTL (International Premier Tennis League), na qual também foi campeão (representando o Singapore Slammers), Melo retornou para uma breve pré-temporada no Brasil. Seu retorno aconteceu em Sydney, nesta semana, jogando ao lado do lendário canadense Daniel Nestor (que, inclusive, atingiu a inédita marca de 1.000 vitórias de duplas na carreira com Melo).

Já no Australian Open, que começa na próxima segunda-feira (noite de domingo para nós), Melo jogará com o parceiro quase-que-sempre-habitual Ivan Dodig. Eles serão os cabeças de chave 2 do Grand Slam, atrás apenas de Horia Tecau e Jean-Julien Roger, os campeões do último ATP Finals.

#somostodosgirafa

Falta uma semana para o Australian Open! \o/

Sheila Vieira
há 2 anos24 visualizações

BAMOS!

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

A equipe de vídeo deles é muito maravilhosa.

Faltam menos de sete dias para o início do primeiro Grand Slam do ano (afinal, já é dia 12 por lá) e, assim como em todos os Slams de 2015, Novak Djokovic continua como grande favorito na chave masculina. O sérvio começou a temporada com título em Doha, com direito a 6/1 e 6/2 na final contra Rafael Nadal. 

Roger Federer perdeu a decisão em Brisbane para Milos Raonic e Andy Murray não foi muito bem na Copa Hopman (é exibição, tem desconto). Stan Wawrinka mais uma vez aproveitou a chave fraca de Chennai para faturar o primeiro troféu de 2016. O segredo para impedir o hexa de Djokovic é acordar um dia com espírito de rolo compressor, como Wawrinka fez em Paris. 

Nas duplas, Marcelo Melo obviamente será um dos favoritos com Ivan Dodig, mas Bruno Soares e André Sá estão com ótimos parceiros (Jamie Murray e Chris Guccione, respectivamente). Tomara que pelo menos dois deles avancem bem na chave.

Apenas homenageando esta grande tacada de raquete do Dimitrov no AO-2015.

A situação entre as mulheres já é bem mais incerta. A primeira semana da temporada foi uma chuva de desistências e abandonos: Serena Williams, Maria Sharapova, Garbiñe Muguruza, Simona Halep, Petra Kvitova...

Quem aproveitou: Victoria Azarenka, que encerrou um jejum de dois anos e meio sem título em Brisbane, Agnieszka Radwanska em Shenzhen e Sloane Stephens em Auckland. Talvez seja ainda precipitado colocar a ex-número 1 do mundo entre as principais favoritas ao título em Melbourne, mas é inegável que o bicampeonato de Vika em Melbourne (2012-2013) pesa em comparação ao currículo menos extenso de Halep ou Muguruza.

Só postando este gif por ser um dos melhores momentos da história do AO.

Os torneios desta segunda semana, sem os medalhões nas chaves, serão uma boa oportunidade para avaliar "zebras". A temporada australiana marcará o adeus de Lleyton Hewitt, mas não me surpreenderia se Nick Kyrgios roubasse o protagonismo do campeão de Slams com uma excelente campanha em Melbourne.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar