Isso é tênis, amigo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Isso é tênis, amigo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Isso é tênis, amigo
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Mesmo sem testes positivos, Nadal virou alvo após doping de Sharapova

Sheila Vieira
há 2 anos22 visualizações

O curioso caso do tenista que precisou começar a se defender porque outro(a) foi pego(a).

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Mesmo sem testes positivos, Nadal virou alvo após doping de Sharapova

Sempre que se falou de doping no tênis nos últimos 10 anos, alguém colocou o nome de Rafael Nadal na conversa. A explosão, a velocidade e a resistência do espanhol no auge de sua carreira sempre impressionaram, assim como o seu porte físico na época em que ele usava camisa regata.

Nadal não é mais tão musculoso e vencedor como antes, mas ainda sim vira um alvo automático quando qualquer pessoa menciona doping no tênis. Inclusive quando Maria Sharapova testa positivo para meldonium. Enquanto a lógica determina que o caso deixa óbvio que as principais estrelas não são poupadas, na prática, as pessoas voltam a questionar o espanhol se baseando em boatos e achismo.

Os principais “caçadores” do Nadal costumam vir da França, país em que ele mais teve sucesso na carreira (eneacampeão de Roland Garros, vocês sabem), mas que nunca pareceu muito simpático a ele. Em 2012, por exemplo, o francês Canal+ levou ao ar um vídeo de animação em que o ex-número 1 abastecia seu carro com sua própria urina:

Agora foi a vez de uma ex-ministra de Saúde e Esportes da França, Roselyne Bachelot, afirmar que Nadal já foi acobertado: 

“Sabemos que a famosa lesão de Rafael Nadal em que ele parou por sete meses foi certamente devido a um teste positivo. Quando você vê um tenista que para por alguns meses, é certamente um teste positivo. Não toda vez, mas frequentemente”.

Por esta lógica, o Juan Martin del Potro e o Tommy Haas já devem ter sido pegos umas 30 vezes cada. Se este é realmente o argumento, impossível levar a sério. Mas o segundo consegue ser pior:

“Simplesmente refleti comentários que foram amplamente ditos no mundo do tênis e na imprensa. Os jogadores denunciaram estas práticas extremamente comuns. O austríaco Daniel Koellerer e outros declararam que era impossível que Nadal e (David) Ferrer não sejam dopados. Lembro dessas declarações terem causado barulho”.

Quando você usa DANIEL KOELLERER como fonte, você perde qualquer tipo de credibilidade. O austríaco fez sua fama no tênis agredindo verbalmente adversários, árbitros e público, incluindo uma ofensa racista ao brasileiro Júlio Silva, e foi banido do esporte por manipulação de resultados.

Nadal afirmou que vai processar Bachelot (assim como disse o mesmo em relação ao Canal+), mas parece improvável que um dia ele consiga tirar esta “etiqueta” que colaram em sua testa. Eu não colocaria minha mão no fogo por ele (ou por qualquer tenista), mas as pessoas realmente precisam ter um pouco de responsabilidade pelo que elas jogam no ar. Ou investiguem o suficiente para acusar com algum tipo de sustentação.

Acredito que a sede de desmascarar Nadal tenha muito a ver com o amor incondicional da maioria dos fãs de tênis por Roger Federer. Sem dúvida, ver a carreira do espanhol manchada tiraria um nó da garganta de vários deles. Seria a maior vitória do “talento” contra a “máquina”. Porém, até agora, a realidade não está a fim de atender a esta narrativa.

#tennis #doping #nadal #sharapova 

Isinbaeva defende Sharapova citando avó que toma droga e ‘não virou super-avó’

Sheila Vieira
há 2 anos16 visualizações
Isinbaeva defende Sharapova citando avó que toma droga e ‘não virou super-avó’
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

As reações ao teste positivo de Maria Sharapova para meldonium continuam a aparecer e estão ficando cada vez mais curiosas. A saltadora Yelena Isinbaeva, provavelmente a atleta russa mais famosa depois de Masha, publicou uma declaração em seu perfil no Instagram defendendo que a substância não deveria ser considerada doping. Leia:

“Queridos amigos, na pessoa de Maria Sharapova eu gostaria de apoiar todos os atletas russos que estão enfrentando problemas devido a testes antidoping positivos da substância tida como “doping” meldonium. Meu Deus do céu, é simplesmente ridículo. Minha avó tem tomado mildronate pelos últimos 6-7 anos (o princípio ativo é meldonium) e o estranho é… ela não se tornou uma super-avó, nenhuma habilidade supernatural foi identificada, nenhuma resistência a mais foi encontrada. Estamos esperando para ver uma vitamina ou hematogen [uma barra nutritiva russa] na lista de substâncias proibidas”.

Дорогие друзья, хочу поддержать в лице Марии Шараповой всех российских спортсменов, которые претерпевают проблемы, в связи с положительным допинг-тестом по выявлению так называемого " допинга" мельдония. Боже, это уже просто смешно. Моя бабушка вот уж последних лет 6-7 принимает милдронат ( действующее вещество мельдоний) , и что странно.... Супербабушкой не стала, сверхъестественных способностей так и не выявилось, выносливости не прибавилось. Ждём появления в списке запрещённых препаратов аскорбинки и гематогена... Dear friends, in the person of Maria Sharapova I want to support all Russian athletes who are facing problems due to positive doping-test results of so-called "doping" meldonium. Oh my God, it is just ridiculous. My grandma has been taking mildronate for the last 6-7 years (active ingredient is meldonium) and a strange thing is... that she hasn't become a super-granny, no supernatural abilities have been identified, no endurance has been added. We are waiting to see ascorbic vitamin and hematogen in the list of prohibited medicines.

A photo posted by Yelena (@isinbaevayelena) on

Bem, Yelena, valeu a tentativa, mas não é assim que funciona. Sua avó tomar um remédio que pode prevenir isquemia e ajudar o metaboismo é uma coisa. Se uma atleta de ponta de menos de 30 anos faz o mesmo, isso com certeza afeta seu desempenho, e é por isso que a Wada colocou a substância na lista de proibição este ano. Não estou dizendo que isso prova que Sharapova não tinha razões médicas para tomá-lo, mas ela terá que prová-las detalhadamente no tribunal.

De qualquer forma, a mensagem de Isinbaeva mostra o quanto o meldonium é realmente popular na Rússia. Outros sete atletas do país também testaram positivo para a substância neste ano, incluindo os patinadores Semion Elistratov, campeão olímpico, e Pavel Kilizhnikov, campeão mundial.

O meldonium foi criado em 1975 na Letônia, país vizinho à Rússia, para tratar doenças cardíacas, e pode ser comprado em qualquer farmácia russa sem receita, inclusive pela internet. Já nos EUA, o medicamento não é aprovado, algo que pode pesar contra Sharapova, já que ela mora na Obamalândia desde criança.

“Trabalho há 20 anos e nunca poderíamos imaginar que (o meldonium) viraria uma substância proibida por doping”, disse o médico da equipe russa de salto com esqui Sergei Sheremetiev, ao The New York Times.

Djokovic e Head também dão apoio a Sharapova

O principal assunto dos primeiros dias do Masters 1000/Premier Mandatory de Indian Wells obviamente é o caso Sharapova, e todos os tenistas estão dando suas opiniões. Ninguém ainda foi extremamente duro com a russa. O mais grave que dizem é que ela realmente cometeu um erro e deve sofrer as consequências. Acho que ninguém racional discorda disso.

Novak Djokovic, porém, foi um pouco mais caloroso e disse ao TMZ (!!!) que conhece Sharapova há muito tempo e sente pelo que está acontecendo. "Apenas espero que ela volte mais forte. Isso é tudo o que posso dizer”.

Enquanto a Nike, a Porsche e a Tag Heuer decidiram “suspender” suas relações com a ex-número 1, a Head, fornecedora de raquetes da Sharapova, não só manterá o vínculo com ela, como pretende estender o contrato. “Não há evidência de que Maria queria melhorar sua performance ou tentar ganhar uma vantagem injusta”, disse o CEO da Head, Johan Eliasch. “Temos orgulho de ficar ao lado de Maria agora e no futuro”, acrescentou.

A própria Maria quebrou o "silêncio" (de só dois dias) na quarta, com este post de agradecimento aos fãs:

A primeira audiência de Sharapova será no dia 23 de março, em Londres.

#sharapova #doping #russia #isinbaeva #djokovic #tennis #meldonium

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar