Isso é tênis, amigo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Isso é tênis, amigo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Isso é tênis, amigo
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Oito estágios de uma noite acompanhando o Australian Open

Sheila Vieira
há 2 anos4 visualizações

1. Quando todos os seus parentes (ou roomates) estão dormindo, você está extremamente envolvido em uma partida, mas tem que se segurar. 

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

2. Quando a partida na qual você está envolvido(a) vai para aquele quinto set com gostinho de games extras. 

3. Quando vai aos games extras e não há previsão de terminar.

4. Não tem mesmo.

Oito estágios de uma noite acompanhando o Australian Open

5. Daí você lembra que, ainda por cima, não tinha terminado as tarefas do dia.

6. Estamos chegando perto da manhã, você já está meio grogue e confundindo tenistas que usam a mesma marca de roupa.

7. Quando você acorda daquele cochilo no meio do jogo bem na hora decisiva.

8. Quando a vida não colabora para você ver a rodada noturna (que é de manhã aqui).

E na próxima noite fazer tudo de novo!

Oito estágios de uma noite acompanhando o Australian Open

O velho-novo escândalo de manipulação de resultados no tênis: negação e exagero

Sheila Vieira
há 2 anos5 visualizações

Tênis é o esporte ideal para um apostador que queira corromper jogadores. É uma modalidade individual em que os atletas costumam oscilar bastante dentro de uma mesma partida e abandonos não são raros. Tem jogo a todo momento, em inúmeros circuitos, em todos os continentes, a maioria deles sem transmissões de TV. Há 16 torneios profissionais acontecendo além do Australian Open nesta semana (um deles no Rio de Janeiro e outro no Guarujá, inclusive).

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

(Amei as ilustrações.)

Além disso, a maioria dos profissionais luta apenas para se manter. Os milhões de premiação que você vê nas matérias são reservados à elite. Junte um cheque pequeno a despesas que atletas de outros esportes não têm (como treinador, fisioterapeuta exclusivo e às vezes hospedagem) e o tenista tem três opções: largar tudo, continuar tentando com algum tipo de patrocínio (que às vezes é paitrocínio mesmo) ou se render à corrupção.

Neste domingo, pouco antes de o Australian Open começar, a BBC e o Buzzfeed publicaram matérias revelando que a ATP não puniu ninguém por diversas investigações feitas em 2008. Vou linkar a matéria do Buzzfeed porque é muito melhor que a da BBC (quem imaginaria):

Obviamente, eles só citaram nominalmente o caso do jogo de 2007 entre Nikolay Davydenko e Martin Vassallo Arguello (que foi amplamente discutido na época, com o argentino sendo o principal suspeito, mas a atenção da mídia indo toda para o Davydenko) e o banimento do Daniel Koellerer. Dificilmente vão nomear outros investigados, já que não há prova concreta contra nenhum deles e ninguém curte tomar um processo.

Como escreveu o Alexandre Cossenza, provar corrupção é algo particularmente difícil. Não basta apontar que os índices das apostas são extremamente suspeitos. É preciso provar diretamente a ligação do jogador com algum apostador:

O problema é que a falta de provas não indica necessariamente que elas não existem. É possível sim que a investigação não seja profunda como deveria ser. E aqui entra muito da negação das pessoas do *mundo do tênis*, que não querem ver manchada a reputação de um esporte que sempre se coloca como exemplo para os outros.

Os discursos de alguns jogadores no Australian Open, especialmente de Novak Djokovic e Roger Federer, dão a entender que a grande maioria dos nomes não revelados por Buzzfeed/BBC é de pessoas que não estão mais em atividade. Obviamente, nos vestiários de Melbourne, todo mundo deve saber quem eles são. 

O Buzzfeed cita campeões de Grand Slam de simples e duplas, sem revelar se estão aposentados ou não. Porém, em seguida, diz que há um top 50 competindo no Australian Open (deve estar bem perto do 50, já que, se não estivesse, teriam escrito top 40, top 30) que é repetidamente tido como suspeito de arranjar seu primeiro set. 

Você pode abrir o ranking e fuçar os resultados de cada um (devo confessar que tenho um chute), mas nada impede que seja um jogador de duplas. Outro caso conhecido recente foi o dos parceiros italianos Potito Starace e Danielle Bracciali, que foram inicialmente banidos por manipulação. Porém, a 'pena' de Starace foi retirada e a de Bracciali reduzida para um ano. 

Precisamos aceitar o óbvio: que há apostadores que aliciam jogadores constantemente e, quando quase ninguém está olhando, a grana está curta e a pessoa não se importa em se corromper, é fácil fazer isso.

Por outro lado, há gente tratando esse 'furo' como se fosse equivalente ao que a confissão do Lance Armstrong foi para o ciclismo. MENAS. Enquanto um jogador mundialmente conhecido (que não é o caso da maioria do top 50, devo admitir) não for comprovadamente condenado e punido, a imagem deste esporte para o mundo não estará totalmente manchada. 

Para quem acha que tênis se resume aos Slams, pouco importa se a primeira rodada do Future de Antalya foi arranjada, ou mesmo um jogo do qualifying de Wimbledon (a matéria não especifica se foi chave principal, hehe). Essas pessoas só se importarão se alguém perder um título de Slam (e de simples!) por isso. E eu ~aposto~ que isso não acontecerá tão cedo.  

Mas, para quem se importa com todos os níveis do tênis, esta pressão pode ser positiva, pelos menos para inibir jogadores que se sintam seduzidos por este dinheiro fácil. Afinal, se você quer uma vida fácil, querido, este definitivamente não é o esporte para você.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar