O mundo não é o bastante
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
O mundo não é o bastante
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
O mundo não é o bastante
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Quais são as línguas mais estudadas em cada país? Descubra!

DeTudoUmPouco
há um ano178 visualizações
Quais são as línguas mais estudadas em cada país? Descubra!
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Todo mundo sabe: não tem mais como viver em sociedade sem aprender pelo menos um segundo idioma. Na verdade, claro que tem, mas sua opções profissionais ficam bem mais restritas e você não entende 70% dos memes da internet.

Além disso, um mundo que tem um volume de imigração cada vez mais intenso e comunicação instantânea entre todos os lugares exige das pessoas pelo menos um esforço (e dinheiro). A grande questão é: será que todos os países são ávidos para aprender inglês?

A resposta é nem sempre. Segundo o aplicativo de celular Duolingo, que oferece aulas gratuitas pelo smartphone, o inglês é sim o idioma que o mundo mais tenta aprender. Mas o francês e o espanhol talvez sejam mais fortes do que você imagina.

Veja só o mapa da língua mais estudada em cada país:

Quais são as línguas mais estudadas em cada país? Descubra!

Vamos começar pela nossa área, a América Latina. O inglês é o idioma mais estudado em todos os países, exceto Guiana, Belize, Bahamas, Jamaica e algumas outras ilhas, como Porto Rico, Barbados e Trinidad e Tobago. Por quê? Muito provavelmente porque a língua oficial desses países é o inglês (espanhol também é em Porto Rico) e eles estão cercados de países que falam português ou espanhol. Não deve ser muito fácil.

Os EUA também querem muito aprender espanhol, obviamente pela enorme quantidade de população hispânica no país (em 2014, era 17%). O que chama mais a atenção é o idioma ser o mais procurado pela maioria dos países nórdicos. A exceção é a Suécia, cuja própria língua é a mais solicitada pelos usuários do país, também por conta da crescente população imigrante, incluindo refugiados, que querem se adaptar ao novo lar.

Um caso parecido é o do Canadá, que tem o francês como língua mais procurada. Como sabemos, inglês é francês são os idiomas oficiais do país, mas a nação é de certa forma dividida desta forma. Se um canadense da parte inglesa tiver que viajar para a parte francesa, é bom que ele saiba conversar com seus próprios compatriotas.

Vejamos então o mapa das segundas línguas mais aprendidas em cada país:

Quais são as línguas mais estudadas em cada país? Descubra!

Português, você por aqui! A “última flor do Lácio” não é a língua mais aprendida em nenhum país, mas tem destaque na segunda opção dos estudantes. E isso é responsabilidade de grande parte dos nossos vizinhos, que querem nos entender desesperadamente. Guiana, Peru, Bolívia, Paraguai e Uruguai têm o português em seu top 2. Já os argentinos, sempre DIFERENTÕES, procuram o italiano logo depois do inglês. Faz sentido: aproximadamente 63% dos argentinos são descendentes de italianos.

Curiosamente, os africanos Angola e Moçambique, que têm o português como idioma oficial, também querem aprendê-lo. O motivo é que a língua de nossos colonizadores ainda não é ensinada desde o berço a grande parte da população desses países, principalmente entre as camadas mais pobres. Entender português pode ajudar essas pessoas a ascender profissionalmente e socialmente.

Também podemos notar o quanto o alemão ainda é forte em países do leste europeu. Certamente há um resquício ainda das ocupações nazistas na Segunda Guerra Mundial, que deixaram laços sociais e econômicos duradouros.

E você? Já tentou aprender outras línguas? Quais você gostaria de tentar? Eu, Sheila, acho que tenho um inglês muito bom, mas ainda preciso melhorar o meu espanhol e no futuro partir para o francês, o italiano e, quem sabe, o alemão? É difícil! Mas também um dos aprendizados mais valiosos que podemos ter. Aprender novas palavras, culturas e trocar experiências.

#linguas #languages #idiomas #english #spanish #french #portugues #duolingo

África humilha o resto do mundo em representatividade feminina no Congresso

DeTudoUmPouco
há um ano100 visualizações
África humilha o resto do mundo em representatividade feminina no Congresso
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Deputadas tomando posse em Ruanda.

A presença feminina no poder será um tema quente nas próximas semanas, especialmente se for confirmada a informação de que Michel Temer dará posse a um grupo de ministros sem mulheres. A discussão também é forte nos EUA, com a candidata à presidência Hillary Clinton prometendo formar um governo diversificado caso seja eleita.

Quais países você citaria se te pedissem para chutar os países com maior porcentagem de mulheres no parlamento? Imagino que você diria Canadá, nações nórdicas e da Europa Ocidental, certo? Mas a verdade é que países do mundo em desenvolvimento, especialmente africanos, são os líderes de fato desta tendência.

Segundo a União Interparlamentar, em 1 de abril de 2016, o país com a maior porcentagem de mulheres nas ‘Casas Menores’ (as Câmaras de Deputados) é Ruanda. Sim, aquele país que você provavelmente só se lembra por causa do filme “Hotel Ruanda”.

Das 80 cadeiras da Câmera ruandesa, 51 são ocupadas por mulheres, 63,8%. Outros seis países africanos aparecem no top 20: Seychelles em quarto (43,8%), Senegal em sexto (42,7%), África do Sul em oitavo (42,1%), Namíbia em 11º (41,3%, empatado com Islândia e Nicarágua), Moçambique em 15º (39,6%, empatado com Noruega) e Etiópa em 19º (38,8%).

A América Latina também tem uma presença digna no top 20, com a Bolívia em segundo lugar (53,1%), Cuba em terceiro (48,9%), México em sétimo (42,4%), Equador em nono (41,6%) e Nicarágua em 11º (41,3%, empatado com Namíbia e Islândia). O Brasil passa absoluta vergonha em relação a estes ‘colegas’, com 9,9% de mulheres na Câmara, ocupando a 155ª posição.

África humilha o resto do mundo em representatividade feminina no Congresso

Obviamente, os países nórdicos também dão exemplo. A Suécia é a quinta colocada, a Finlândia a décima, a Islândia a 11ª, a Noruega a 15ª e a Dinamarca a 21ª. Os EUA claramente precisam melhorar, já que têm apenas 19,4% de deputadas e estão quase fora do top 100.

No Senado, um país europeu ocupa a primeira colocação: a Bélgica, com a exata metade de mulheres. A Bolívia continua firme também na ‘Casa Maior’, com 17 mulheres entre 36 senadores (47,2%). Dos 81 senadores brasileiros, 84% são homens.

Claro que nem sempre os Congressos mais ocupados por mulheres são de países com leis progressistas em relação a gênero, até porque há diversas deputadas e senadoras conservadoras. Mas a tendência é que parlamentos dominados por homens só discutam legalização do aborto, por exemplo, se for para aumentar as restrições.

África humilha o resto do mundo em representatividade feminina no Congresso

Em Ruanda, por exemplo, a lei que permitia o aborto somente quando dois médicos constatavam que ele era necessário para preservar a saúde e vida da mulher foi reformada em 2012. As mulheres ruandesas agora podem abortar em caso de estupro, incesto, casamento forçado ou comprometimento do feto.

Pense nisso na próxima vez que você estiver confuso ao decidir seu voto para vereador, deputado ou senador. Que tal escolher, entre as pessoas com posição política parecida com a sua, uma vereadora, deputada ou senadora?

Veja a lista completa da União Interparlamentar: 

#womeninpolitics #women #mulheres #política #africa #rwanda #bolivia 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar