O segundo sexo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
O segundo sexo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
O segundo sexo
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Brinquedos de "menina" afastam as meninas de carreiras na ciência

Pilar Magnavita
há 2 anos11 visualizações
Brinquedos de "menina" afastam as meninas de carreiras na ciência
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

A criança nem bem nasceu e o quarto já tem a cor rotulada do gênero. Os brinquedos vem de acordo com aquilo que as criancinhas trazem entre as pernocas. Bonecas, carrinhos, vestidinhos, shortinhos, tênis, sandalinhas... Não há dúvidas sobre a interferência desses estereótipos na construção da identidade de gênero, o que acaba influenciando também nas escolhas profissionais futuramente. O lugar das mulheres dentro dos laboratórios começa a ser cerceado ainda na infância. E o dos homens, incentivado.

Nessa matéria do jornal britânico The Guardian, a professora de física experimental e conselheira da Universidade de Cambrigde, Athene Donald, explica os brinquedos que damos às crianças e as habilidades que eles desenvolvem nelas definem muito cedo para que lado a criança vai tender: humanas, exatas, artísticas... e os brinquedos considerados femininos em nada estimulam o pensamento científico nas mulheres. Barbies, panelinhas, bonecas e a maioria dos brinquedos tidos como "femininos" não instigam a criatividade, o senso crítico e o desenvolvimento de habilidades motoras. Pelo contrário, são objetos atrelados à passividade, à vaidade e à subserviência.

Já brinquedos "de menino", como Legos, carrinhos, jogos de química, maletas de mecânico, dão mais oportunidades para a criança ficar exposta a brincadeiras que envolvam ciência e engenharia - e, claro, aumentam as chances de ser influenciada por esses conhecimentos desde cedo.

A pesquisadora, que estuda a física de sistemas biológicos, disse que os interesses acadêmicos das crianças começam a ser estimulados muito antes de elas escolherem qual deseja estudar no nível acadêmico: humanas, exatas, biomédicsa, etc. Encorajar as meninas mais nas áreas das ciências vai ajudar a construir uma sociedade informada e igualitária, que pode tomar boas decisões sobre questões tão variadas como vacinas, antenas de telefonia móvel e as mudanças climáticas e atender melhor o público feminino, em pé de igualdade. Para não acontecer isso aqui, em todas as áreas de conhecimento:

Athene Donald conta que há pessoas que pensam que aquilo que as crianças fazem aos quatro anos é irrelevante para a vida adulta, o que é um erro! O que somos hoje é um acúmulo de experiências ao longo de toda nossa existência. As evidências científicas sugerem que as crianças definem desde muito cedo o tipo de área que se sentem mais à vontade, pelos estímulos que recebem em casa e na escola, na maioria das vezes. Por isso as brincadeiras com panelinhas, bonecas e coisas consideradas totalmente femininas não encorajam curiosidade, resolução de problemas matemáticos (como Lego e quebra-cabeças), capacidade de construção (argila, jogo de peças) e o interesse pela física (como maletas de química e física para as crianças).

Curiosamente, eu sempre tive dos meus pais brinquedos que ultrapassavam a barreira do gênero como blocos de montar (meus preferidos), aquelas aeronaves de brinquedo que a gente tem que construir, bonecos do Lion e Jaspion, carrinhos, além das minhas Barbies. Curiosamente, sempre tive mais amigos meninos do que meninas, que me consideravam uma chatonilda e sem assunto para falar com elas. Confesso que a vida era difícil no aspecto social pelas diferenças (minhas amigas mulheres não têm nenhum nhém-nhém-nhém), mas isso realmente me ajudou muito profissionalmente.

Um estudo da Universidade de Washington reforça a teoria de Donald: antes mesmo de aprender as operações de divisão e multiplicação, as crianças já acham que "matemática é para meninos".

Brinquedos de "menina" afastam as meninas de carreiras na ciência

A pesquisa, conduzida pelo psicólogo Andrew Meltzoff, especialista em desenvolvimento infantil e co-diretor do Instituto de Aprendizado e Ciências do Cérebro da Universidade de Washington, mostra que o estereótipo de que as ciências exatas são para meninos aparece antes do 2º ano do ensino fundamental. Gente, isso é na infância ainda!

Brinquedos de "menina" afastam as meninas de carreiras na ciência

Um grupo de 247 crianças de 1ª a 5ª série participou de testes que associavam matemática e gênero. Foram avaliados três aspectos: identidade de gênero (se a criança se identifica como feminino ou masculino), associação da capacidade matemática a gênero e autoavaliação sobre habilidades matemáticas.

Em um dos testes, foi pedido às crianças que combinassem quatro tipos de palavras: nomes de meninos, nomes de meninas, palavras relacionadas à matemática e palavras comuns.

Como esperado, a maioria das crianças - tanto meninos como meninas - associou os termos matemáticos a nomes de meninos. Além disso, no teste de autoavaliação, mais meninos do que meninas se declararam identificados com perfil matemático.

Tá na hora de mudar, né?!

#gênero #crianças #ciência #segundosexo #feminismo #sociedadeigualitaria

Coisas que os homens precisam entender sobre menstruação

Sheila Vieira
há 2 anos18 visualizações

"Por que eu precisaria disso? Eu nunca vou ficar menstruado!" Bom, mas pelo menos você não vai passar vergonha se precisar abordar o assunto (como certos tenistas líderes do ranking). É útil entender é o que a menstruação é, além de apenas um motivo para comemorar que sua namorada, esposa ou peguete não está grávida (a não ser que vocês queiram ter filhos no momento). Já que você não passará por isso, a gente pode esclarecer.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Menstruação não é só sangue

O que sai da vagina da mulher é o endométrio, um tecido altamente vascularizado (olha o sangue aí), que reveste a parede do útero, à espera de um óvulo fecundado. Ele fica cada vez mais espesso durante o ciclo e, quando não ocorre a fecundação, ele sai do nosso corpo.

Por isso, a menstruação é bem mais grossa e escura do que o sangue que sai da pele quando a gente se corta. Se você encontrar na lixeira um papel sujo de vermelho mais marrom, não se preocupe, sua namorada não está doente. Faz parte.

Menstruação não tem data marcada para chegar e terminar

O ciclo em tese dura 28 dias, mas muitas mulheres têm ciclos irregulares. Geralmente sabemos quando ela está próxima de começar pelos sintomas da TPM, mas a data exata de início não é uma certeza. Mulheres que fazem tabelinha ou tomam pílula anticoncepcional (estas costumam ter ciclos mais regulares porque as doses hormonais são controladas) podem até adivinhar o dia, mas não a hora.

Ou seja, sempre há um absorvente, OB ou coletor sendo usado inutilmente por um dia ou dois só para garantir que nenhuma calcinha seja manchada. Mesma coisa com o término: demora mais para algumas mulheres, menos para outras. Às vezes a gente acha que acabou, depois vem um restinho. F. A. Z. P. A. R. T. E. Não faça um escândalo se encontrar alguma roupa manchada, você não é uma criança.

A TPM é diferente para cada mulher (e não existe para algumas)

Entramos aqui na parte dos famigerados hormônios, o estrogênio e a progesterona. Os níveis deles despencam quando o óvulo não foi fecundado e isso causa a famosa TPM. No entanto, a ‘síndrome’ não é como uma doença com cartilha exata de sintomas e tratamento. Se você perguntasse a 20 mulheres como é a TPM delas, cada uma falaria sensações diferentes. Pode ter ou não dor de cabeça, dores nos seios, vontade de ir ao banheiro mais frequente, cólicas e muitas outras coisas. Sim, rapazes, há sintomas físicos tão ou mais chatos do que os emocionais.

Mas uma parte que poucos se lembram é que… há mulheres que não sentem nada! As que tomam pílula costumam sentir quase nada. Então não pergunte a uma colega de trabalho estressada se ela está na TPM: além de dar a entender que a irritação dela não tem um motivo racional, você está partindo do princípio de que todas temos sintomas (e os mesmos).

Você pode transar com uma mulher menstruada

Você ou ela podem não querer, obviamente. Mas ninguém vai morrer se acontecer.

Cada mulher prefere um tipo de absorvente

Você namorava uma garota que só usava o interno (o popular OB) e não entende por que sua atual não quer entrar na piscina menstruada? É possível que ela se sinta mais confortável usando o externo (que não funciona na água). Há também quem use o coletor, um copinho que a moça tira após algumas horas usando, lava e coloca de volta. 

Compreendido? Sinto muito se você já sabe dessas informações, mas nunca é demais repeti-las.

Coisas que os homens precisam entender sobre menstruação

O principal erro de uma colocação como a do Djokovic ("as garotas sabem do que eu estou falando") é entender a menstruação como essa coisa terrível que-não-deve-ser-nomeada. A gente escolheria viver sem isso se fosse fácil? Claro. É uma preocupação a mais, custa dinheiro e pode trazer sintomas colaterais. Mas é parte do nosso corpo e a maneira mais explícita de o nosso corpo avisar que não estamos grávidas.

Quanto mais a gente ficar com vergonha de falar disso, menos informados estaremos e continuaremos perpetuando que a principal dificuldade da vida da mulher é menstruar. Nós podemos garantir: não ter nossa opinião ou trabalho levados a sério e sermos vistas como objeto sexual acima de tudo são coisas bem mais chatas. E não há produto na farmácia que possa resolver isso.

#women #mulheres #menstruação #period #djokovic #hormones 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar