Pop music
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Pop music
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Pop music
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Tidal completa um ano longe do Spotify, com processo e pouca exclusividade

Sheila Vieira
há 2 anos10 visualizações

Você se lembra daquele encontro com Jay-Z, Beyonce, Madonna, Alicia Keys, Nicki Minaj, Kanye West, Rihanna e vários nomes de peso da música anunciando o Tidal? Pois é, aquilo faz um ano.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Tidal completa um ano longe do Spotify, com processo e pouca exclusividade

E o Tidal ainda não pegou.

A ideia da plataforma era concorrer com o Spotify oferecendo um serviço mais caro, porém com áudio de melhor qualidade e com maior parte da receita revertida para os artistas, que são sócios. O tom das megaestrelas no lançamento era de que estava começando uma verdadeira revolução na indústria musical.

A realidade é que consumidores não vão pagar mais pelo mesmo produto só para ajudar artistas. Especialmente quando as caras do serviço são pessoas milionárias. O Tidal hoje tem 3 milhões de clientes pagos, enquanto o Spotify tem mais de 30 milhões. Ainda está longe da Apple Music, com 11 milhões de ‘subscribers’.

O único verdadeiro diferencial do Tidal seria lançar conteúdo exclusivo de seus sócios. Beyoncé disponibilizou o single “Formation” só na plataforma e, apesar de a música ter sido um sucesso de crítica, não virou um mega hit. 

O aguardado álbum “ANTI”, de Rihanna, ficou uma semana só na plataforma, entrando nas outras já na semana seguinte, e “Life of Plabo”, que Kanye West havia prometido disponibilizar só no Tidal, acabou indo para o serviço em fevereiro ainda sem estar finalizado e já deve entrar no Spotify e na Apple Music nesta semana.

Tirando essas ações, nada de muito revolucionário aconteceu. Esses artistas ainda têm gravadoras para agradar (e enriquecer).

Tidal completa um ano longe do Spotify, com processo e pouca exclusividade

Mas o maior problema do Tidal no momento tem a ver com seus donos originais, a empresa de mídia norueguesa Schibsted ASA. Segundo os administradores atuais do serviço, a companhia europeia “maquiou” o real número de subscribers da plataforma no momento da venda.

“Ficou claro após tomarmos controle do Tidal e conduzirmos nossa auditoria que o número total de subscribers era bem menor que os 540 mil informados pelos donos anteriores. Como resultado, nós estamos notificando legalmente as partes envolvidas na venda”, disse a gerência do Tidal em comunicado.

Que faaaaaaase. Essas pessoas, como empresários, são ótimos cantores.

#tidal #streaming #jayz #beyonce #rihana #kanyewest #spotify

Jack Bauer vira cantor de country e atua incrivelmente mal em clipe de estreia

Sheila Vieira
há 2 anos29 visualizações

Não, “24 Horas” não fez um episódio musical. Kiefer Sutherland realmente decidiu lançar um álbum de country.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Jack Bauer vira cantor de country e atua incrivelmente mal em clipe de estreia

Sempre sinto calafrios quando vejo pessoas que são mundialmente conhecidas como atores tentando emplacar uma carreira musical, porque em 99% dos casos elas simplesmente não sabem cantar. Os agentes desses artistas perceberam isso lá no começo e os direcionaram para a atuação. O problema é que, quando alguém tem dinheiro para realizar qualquer sonho, ele faz coisas que realmente não deveria fazer.

Tipo o Hugh “House” Laurie cantando blues:

(Pelo menos ele toca piano bem.)

Em seu single de estreia, “Not Enough Whiskey”, Sutherland canta só no registro grave e as notas um pouquinho mais agudas causam arrepios (não no bom sentido). Mas tudo bem, poucos cantores country têm um alcance vocal enorme. O que realmente surpreende é que… a atuação dele é horrível no clipe.

Você imaginaria que um clipe de um ator de sucesso teria uma grande produção, uma história e uma direção bacana. Nope. Ele começa com Sutherland cantando de costas, até o cantor-ator dar aquela viradinha meio “aha, sou eu mesmo!”. 

Após se vestir, o eterno Jack Bauer anda por uma rua, entra em um bar e, PARA A SURPRESA GERAL DE TODOS, BEBE UMA DOSE DE UÍSQUE. Fim. Em toda esta grande jornada, Sutherland tem a mesma expressividade de uma escada rolante.

Juro que assisti até o final esperando um plot twist de um terrorista entrando no bar e Jack Bauer dando uma surra nele, mas não rolou.

Não duvido do sucesso do álbum de Sutherland, já que americanos do interior idolatram qualquer ser vivo que use um chapéu de caubói, mas sugiro que o cantor-ator pague um estagiário da equipe de "24" para elaborar um roteiro menos sem graça da próxima vez. Quem sabe um vídeo em tempo real, pelos velhos tempos?

#kiefersutherland #24 #country #jackbauer

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar