TV

Um dia nós vamos ter que parar de ficar incomodados com spoilers

Sheila Vieira
Author
Sheila Vieira

#SpoilerAlert para toda a vida.

Marcelo Adnet foi genial outra vez. No vídeo musical do “Tá No Ar” desta terça, destilou uma porrada de spoilers de várias séries famosas, como “Breaking Bad”, “Lost” e “Game of Thrones”. E mostrou que, no fim das contas, spoilers são inevitáveis e não estragam tanto assim a experiência de acompanhar uma narrativa.

Eu, por exemplo, soube que Walter White morria quando ainda estava na primeira temporada de “Breaking Bad”, lendo um artigo opinativo em um site de tênis. Isso fez com que a série perdesse a graça para mim? Nem um pouco. Fiquei extremamente envolvida e considero a saga de White a melhor coisa que a TV já produziu.

Mesma coisa com “Lost”. Eu segui a série junto com sua exibição até 2007, quando larguei a vida para estudar para o vestibular. Voltei alguns anos depois, para ver tudo de uma vez. Obviamente, o mundo inteiro já havia discutido o que significava a cena de todos os personagens juntos na Igreja. Isso impediu que eu chorasse quando Claire e Charlie se reencontraram?

(Preciso de um minuto.) #feels

Até minha série de livros favorita, “Harry Potter”, não teve um final mega surpreendente. O fandom todo já havia percebido que Snape amava Lily e Harry era uma horcruxe. Derramei uma lágrima a menos naquelas páginas? De forma alguma.

A verdade é que, no mundo das redes sociais, onde absolutamente vira uma discussão, é meio impossível fugir de spoilers. As pessoas vão querer fazer piadas e memes, ou criar um perfil fake do Kylo Ren (que é maravilhoso).

Há quem se esforce para não soltar nada na internet, mas quanto tempo é necessário? Ainda é spoiler dizer que Dumbledore morre no final de “Enigma do Príncipe”? O livro foi lançado há 11 anos! Como deixar de publicar algo sobre uma narrativa antiga, se você não sabe quem já viu/leu ou não? Qual é o tempo mínimo para segurar um spoiler?

Relaxem, pessoas. Se uma história é boa, ela continuará sendo boa, mesmo sabendo o que acontece no final. Sabem por quê? Porque a grande graça de uma narrativa não é o clímax, mas qual caminho o autor segue para chegar a ele.

E quem reclamar de spoilers neste texto vai tomar um pedala.

#FreeSpoilers #TV