Wilson Baldini Junior's story
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Wilson Baldini Junior's story
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Wilson Baldini Junior's story
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Katie Taylor: ouro certo no boxe na olimpíada do Rio

Um dos momentos mais eletrizantes dos Jogos Olímpicos de Londres-2012 foi a final do boxe feminino na categoria 60 quilos. Os 10 mil espectadores na Excel Arena, em sua grande maioria irlandeses, cantaram freneticamente, vibraram a cada golpe, festejaram a vitória e a conquista da medalha de ouro de seu maior ídolo: a boxeadora Katie Taylor.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Aos 29 anos, Katie, a mais nova entre quatro irmãos, começou no boxe aos 11 e jamais foi derrotada em um torneio internacional. Além do ouro olímpico, são cinco troféus em campeonatos mundiais e 12 em competições europeias. "Minha fome por títulos é maior a cada conquista. Tenho muito a fazer e por isso não me iludo com as vitórias", afirmou, sempre simpática e com o sorriso estampado no rosto de adolescente.

Seu estilo de lutar enlouquece os fãs. Com um preparo físico invejável, Katie não para de se movimentar um segundo durante os oito minutos de combate previstos - no boxe feminino, são quatro rounds de dois minutos. Sua variação de golpes, aliada a uma velocidade nos punhos impressionante, faz Katie dominar quase todos os rounds. Outra característica que surpreende a maioria das rivais é o contragolpe sempre muito bem colocado.

"Meu ídolo sempre foi Rocky Marciano (campeão mundial dos pesos pesados de 1952 a 1955). Ele é minha referência e a primeira lembrança que tenho do boxe. Gosto da forma como ele lutava. Sempre agressivo. Não tenho a mesma força, mas procuro sempre tomar a iniciativa do combate", disse Katie, que também admira a técnica de Sugar Ray Leonard - lenda dos anos 70, 80 e 90. No boxe atual, a irlandesa acompanha todas as lutas e vídeos antigos do multicampeão filipino Manny Pacquiao. "Ele teve combates incríveis".

TREINO DURO - Para aprimorar a parte física e técnica, Katie conta com o apoio total da família. Peter Taylor, o pai, não desgruda da filha na academia em Bray, onde ela nasceu e vive. Um detalhe importante nos treinos é que Katie só faz sparring com homens. Paddy Barnes, campeão europeu e bronze em Pequim-2008 e Londres-2012, é um dos parceiros. "A ordem é atacar Katie o tempo todo. Sabemos que um treino duro pode tornar a luta mais fácil. Por isso, ela não tem nenhum tipo de privilégio".

A mãe, Bridget, torce muito pela filha, claro, mas prefere ficar em casa. "Somos uma família ligada ao boxe, pensava que os meninos (Peter e Lee) fossem ser os melhores, mas Katie nos surpreendeu".

Bray é uma cidade ao nível do mar, o que ajuda Katie nas corridas matinais, que tem início às 6 horas. Isso no verão. No inverno, o footing é transferido para o pequeno, mas aconchegante e equipado ginásio da Bray Academy, que fica próxima ao trilho do trem. Lá, das 11 às 13 horas, a melhor boxeadora do mundo na atualidade faz exercícios com os aparelhos de boxe.

Das 15 às 17 horas, Katie faz trabalhos com uma equipe de fisioterapeutas, que buscam melhorar sua postura e evitar lesões. Às 19 horas, começa o treino intenso de sparring de 60 minutos, quando Katie é exigida ao extremo. Todo esse planejamento é feito de segunda a sábado.

COMO UM SHOW - Os 30 mil habitantes de Bray vão em peregrinação acompanhar as suas lutas por todo o mundo por intermédio dos telões que são instalados nos parques centrais. O clima é semelhante ao de um show de rock e seus golpes são acompanhados por gritos como se fosse um gol da seleção irlandesa. Aliás, o futebol é uma das paixões da lutadora.

Mas a fama de Katie já ultrapassou fronteiras. Em 2012, carregou a bandeira de seu país na abertura dos Jogos de Londres, além de ser eleita a personalidade do esporte.

Tanto sucesso fez com que Katie se tornasse uma celebridade na Europa. Além das premiações e das ajudas mensais que recebe do Comitê Olímpico da Irlanda, a boxeadora tem contratos com nove patrocinadores. Faz comerciais para TV e posa em fotos para revistas e sites.

Em Londres, a Irlanda ganhou cinco medalhas. A única de ouro foi com Katie Taylor. Para o Rio, ela diz estar preparada para assumir a responsabilidade e repetir a dose. "Respeito todas as minhas adversárias. Demonstro isso ao treinar sete horas por dia, mas em cima do ringue não admito perder. Luto pelo meu país e vou levar mais um ouro para casa".

Messi fa golaço durante treino do Barcelona

O cantor Eros Ramazzotti visitou a sede do Barcelona e aproveitou para acompanhar um treino do melhor time do mundo.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Ao lado de Messi e do técnico Luis Enrique, o músico trocou alguns passes. Amigo do craque argentino, o músico italiano brincou e pediu para que ele tentasse fazer um gol sem ângulo e de muito longe.

Sem nenhum preparo, Messi fez uma embaixadinha, deixou a bola cair e bateu.....mesmo sem ângulo, a finalização mandou a bola certeira para o fundo das redes.

Messi e todo o time do Barcelona parece não ter limites.

Você leu a pasta de história
escrita por