Wilson Baldini Junior's story
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Wilson Baldini Junior's story
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Wilson Baldini Junior's story
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Papel higiênico fashion. E famoso.

Papel higiênico fashion. E famoso.
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Uma empresa portuguesa conseguiu elevar o papel higiênico nosso de cada dia à categoria de ícone fashion, parte integrante do mundo do design e item básico da lista de compras das celebridades.

Fundada em 1818, a Renova era apenas mais uma empresa fabricante de papel higiênico, toalhas de papel e afins. Em 2005, lançou no mercado seu papel "black edition", todo preto, como sugere o nome. O sucesso foi tanto que a empresa patenteou o produto. Depois disso, não demorou a surgir toda uma gama de cores e logo em seguida os quiosques em shoppings e outros locais de grande circulação de público para vender os rolinhos.

Ao custo de R$ 30,00 (€ 7,15 ) o pacote com 6 unidades, o 'pretinho básico' é quase obrigatório nas boates chiques de Paris, assim como é exclusivo nos banheiros das casas de Simon Cowell (American Idol e The X Factor). Já a cantora Beyoncé prefere o vermelho sangue, que faz parte da lista de exigências para os shows da cantora pelo mundo.

Xerife multa a si mesmo nos EUA

Para quem está acostumado com a corrupção e a "lei de Gerson" que imperam no Brasil, exemplos de retidão e caráter são um alento. O xerife David Clarke, da cidade de Milwaukee, no Wiscosin, EUA, multou a si mesmo depois de perceber que sua viatura estava estacionada em local proibido. O fato aconteceu durante festividades em comemoração ao dia dos veteranos, em 11 de novembro último.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O xerife conta que ao chegar ao local, desceu do carro e pediu a um outro oficial que estacionasse para ele. Ao retornar e verificar que a viatura tinha permanecido em local proibido, David lavrou a multa no valor de US$ 35,00, o equivalente a cerca de R$ 140,00 e, além disso, doou outros US$ 200,00 (cerca de R$800,00) a uma instituição de caridade.

Segundo o xerife, "a menos que se trate de uma emergência ou chamado policial, as leis de trânsito se aplicam normalmente às viaturas".

Você leu a pasta de história
escrita por