HUMOR

Manifesto Pós Moderno

Victor  Zequi
Author
Victor Zequi

Pela glória perdida de todos os desajustados na pós modernidade líquida, viscosa e com cheiro de cerveja feita de milho (a.k.a. cereais não malteados);

Pela nostalgia platônica dos tempos que nunca vivemos;

Pela falta de amor (e excesso de doenças do beijo);

Pela felicidade vigilada e o gozo eterno;

Pelo mal estar coletivo e a foto em grupo na mesa de bar;

Pelo caos político e a leitura obsessiva (das manchetes);

Pela masturbação e entorpecimento digital;

Pela filosofia dos likes;

Pelo narcisismo consciente;

Pela geração sem rótulos que mais se rotula desde mil quatrocentos e papel de cânhamo, e pelo que mais vier a seguir, logo amanhã (não sabemos).

Pós modernos, hipermodernos...

De todas as idades, raças, cores, ideologias (menos os fascistas!!!!)

Chamemo-nos do que quisermo-nos.

Ainda não temos certeza!

É por isso tudo que vivemos!

Só nos resta chorar – de rir!

Então, pois, gargalhemos! Ráááá

E deixem as classificações para os acadêmicos.

Pelos ensinamentos do vovô filósofo e ex-fumante Zygmunt Bauman (in memorian) que agora se contorce em seu túmulo (nunca o li).

Vivendo os dilemas humanos de sempre

Na era dos robôs!!!

Beep, bop!

Comecemos este novo ano com o pé direito [aviso: esta frase não contém subsignificados de posições políticas!]

Sigam-me os bons (que eu sigo de volta!)

Está inaugurada a mais nova websérie da internet.

05/02/2017

Duas e pouco da maDrogada!

Postado do meu iPhônei

Manifesto Pós Moderno