'Brasil já era paraíso gay muito antes de eu nascer', afirma Pabllo Vittar

A cantora drag queen mais famosa do Brasil deu uma entrevista após um show no Heaven, famosa casa noturna gay em Londres. Pabllo Vittar foi fazer um show na cidade e conversou com a BBC News Brasil.

Pabllo vinha e ainda vem sendo vítima de homofobia, inclusive com ameaças de morte. Isso começou no meio de 2017, quando a música K.O estourou. O vídeo foi hackeado e apagado de sua conta no YouTube, no lugar, uma imagem do então deputado Jair Bolsonaro foi colocada.

“Antes eu sofria muito, mas hoje acredito que quem me ataca queria ter a força que tenho, a garra que eu tenho para viver a minha vida do jeito que quero. Acabei aprendendo a filtrar. Hoje, leio um comentário falando 'morre, seu viado'. Antes, eu ia para o meu quarto chorar. Hoje (penso): mais um doido, mais uma pessoa sem noção jogando hate (ódio) na internet”.

Pabllo hoje é um sucesso indiscutível, além de ser famosa no Brasil, a drag queen vem de passagens recentes com shows esgotados na Argentina, Chile, México e Portugal. Ainda sobre as ameaças, Pabllo diz:

“Acredito no ditado: que falem mal, mas falem de mim. E não vou perder meu tempo processando essas pessoas porque tenho certeza que muitas delas não terão nem dinheiro para me pagar. Então, continuem falando, me dando ibope e botando meu nome nos Trending Topics do Twitter e do Google”.

Ela ainda completa: O atual presidente disse que não quer que o Brasil vire um paraíso gay, mas, baby, ele chegou atrasado, porque o Brasil é paraíso gay muito antes de eu nascer”

0