Colonização em Marte pode virar realidade em 2030

Colonizar Marte, um grande projeto da Nasa, tem o objetivo de tornar o planeta um lugar habitável para a vivência dos seres humanos. Apesar de esse projeto parecer, aos olhos de quem ouve falar, algo muito distante, a Nasa planeja iniciar a colonização a partir de 2030, e já agora há quem apoia e quem critica o projeto

Colonização em Marte

Para a colonização de Marte, os pesquisadores do ramo acreditam que é preciso colocar no planeta algo que já existe na Terra: um campo magnético protetor, um escudo que protegeria o planeta dos fortes ventos solares e da radiação nociva. Hoje, esses pesquisadores acreditam que é viável criar esse escudo magnético artificialmente.

As missões espaciais feitas pela Nasa descobriram dados que mostram que o planeta Marte já possuiu, há cerca de 4,2 bilhões de anos, um campo magnético natural como o da Terra, e, nos 500 anos subsequentes, por falta desse campo que desaparecera, a atmosfera de Marte foi extinta.

A colonização em Marte pretende recuperar a atmosfera, a temperatura (atualmente, fazem extremos 20°C de dia e -80° à noite) e parte dos oceanos, assim como era em um tempo muito longínquo.

Animados com a perspectiva de retomar o Planeta Vermelho, os pesquisadores querem aumentar a temperatura do planeta — em tese, sabem como isso pode ser feito —, de modo que volte a existir água em estado líquido.

Em 2015, os pesquisadores da Nasa revelaram que é previsto em 2030 existir uma colônia humana em Marte, e também é previsto que na década de 2040 seja possível uma exploração humana na superfície, graças à presença da água em estado líquido, como foi citado.

Os desafios de colonizar Marte

Apesar de muitos pesquisadores de Marte estarem promissores em relação à descoberta do Planeta Vermelho, construir um clima propício para a vida em Marte, da mesma forma que ocorre naturalmente na Terra, é um projeto que não sabemos se dará certo, visto que isso nunca foi feito antes e tudo o que temos é a teoria.

Além disso, a criação do “ambiente propício” para a vida no Planeta Vermelho pode ser muito complicada. Induzir o efeito estufa em níveis exponenciais é mais difícil do que sabemos fazer na teoria.

Outras pessoas não veem sentido na questão de colonizar Marte. Nós degradamos o nosso próprio planeta, destruímos a fauna e a flora; logo, essas pessoas acham que deveríamos primeiro “consertar” os erros que promovemos à Terra antes de querer “terraformar” Marte. E o que você acha? Conte para a gente nos comentários. Até a próxima.

0