Como fazer alguém para de beber pinga

A linha que separa o vício do prazer em relação ao consumo de álcool é realmente tênue: beber é quase que uma obrigação entre os adultos, especialmente aqueles cuja vida social é intensa. Grande parte das pessoas sabe quando deve parar, mas alguns ultrapassam esse limite e isso causa dor, sofrimento e angústia – tanto daqueles que bebem, como também daqueles que lidam de alguma forma com o alcóolatra.

Ou seja, parar de beber não é tão fácil quanto o que parece – é necessário terapia e, muitas vezes, acompanhamento por médicos multidisciplinares, capazes de tratar não só a parte física, mas também, isso é deveras importante, a parte emocional do paciente.

Vamos falar, abaixo, dos efeitos do álcool no organismo – em especial a queridinha nacional: a cachaça – ou marvada pinga.

Os efeitos da cachaça no organismo: a cachaça que tem, em média, de 40 a 50% de álcool na sua formulação, possui efeito depressor no sistema nervoso central. Isso significa que, em pequenas doses, a cachaça tem o poder de atuar sobre nossos desinibidores, deixando as pessoas mais alegres, felizes e corajosas.

Em grande quantidade pode causar desorientação, vômito, tontura e alteração das funções visuais. A longo prazo, o alcoolatra pode experimentar sensações ímpares como paranoia, demência e a necessidade constante da bebida para conseguir realizar atividades rotineiras – o que antes era festa, transforma-se em um verdadeiro

Efeitos do abandono do vício

Um paciente que desiste de beber pode experimentar, depois de um certo período, uma visível melhora na sua condição física e espiritual: o cérebro volta a funcionar na sua velocidade normal e a capacidade de processamento de informações é ligeiramente aumentada, fazendo que atividades relacionadas à memória sejam reavivadas para que possam ser revividas e, porque não, resignificadas em um novo contexto – livre de bebida.

O lema dos alcóolicos Anônimos, grupo de autoajuda com o intuito de fornecer, para os viciados, a história de outras pessoas com problemas iguais, mesmas dificuldades, porém com maneiras diversas de lidar com o problema.

É possível abandonar o vício em álcool?

Sim, é possível, desde que haja vontade do paciente. E essa vontade implica em saber que não somos capazes de nos livrar do vício do álcool sozinhos: precisamos de uma rede de apoio, precisamos de terapia, precisamos de força de vontade e, muitas vezes, precisamos de medicamentos capazes de inibir ou amenizar os efeitos prolongados do álcool no organismo – que variam de gordura no fígado a gastrite, cirrose e perda constante de consciência.

Um alcoolatra, no começo, é sempre alguém que parece simpático e divertido. As pessoas riem, por exemplo, de um alcolatra caricato na televisão, aquele sujeito boa praça, que anda meio torto – sob efeito do álcool . Esse cara é sempre popular e bem quisto – porque todo mundo ama ou já amou alguém que se destaque, mesmo que negativamente, dos demais.

A Organização Mundial de Saúde defende que não há limites seguros de consumo de álcool. Isso significa que os seus reflexos podem sim ser alterados mesmo que você beba pouco. É preocupante.

00