Conheça Sílvia Waiãpi, índia nomeada secretária do governo Bolsonaro

Conheça Sílvia Waiãpi, índia nomeada secretária do governo Bolsonaro

Paulo24
Autor Paulo24
Política
Coleção Política
Conheça Sílvia Waiãpi, índia nomeada secretária do governo Bolsonaro

Sílvia Waiãpi é a mais nova nomeada para participar do Governo Bolsonaro. A mulher de origem indígena será secretária nacional da Saúde Indígena.

O anúncio foi feito hoje por Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. Sílvia também é militar, aliás, foi a primeira indígena a integrar as Forças Armadas. Ela também participou do governo de transição de Jair Bolsonaro.

Damares fez o anúncio por meio de um vídeo, e aproveitou para criticar aqueles que disseram que o presidente iria perseguir os índios no Brasil.

Silvia foi adotada aos 3 anos e aos 7 começou a frequentar a escola, ela disse que sempre teve vontade de estudar, conhecer as letras e aprender a ler.

Ela contou em uma entrevista ao programa do Jô Soares, em 2012, que sofria bastante bullying na escola. Sílvia contou que só tinha uma camisa velha com um botão nas costas, com a qual ia para a aula todo dia.

Ela também afirmou que sempre que cantavam o hino nacional, ela ficava admirando a bandeira balançar. Sempre um aluno era responsável por fazer o hasteamento da bandeira, ela sempre quis ser essa aluna, mas embora pedisse para os professores, nunca permitiram.

“Nunca entendi o motivo de me chamarem de legítima brasileira se não podia fazer nem o hasteamento da bandeira”

Com 13 anos, Sílvia teve uma filha, pouco depois de quase morrer ao ter o abdômen perfurado por um pedaço de madeira. Aos 14, ela fugiu da aldeia e foi parar no Rio de Janeiro.

Conheça Sílvia Waiãpi, índia nomeada secretária do governo Bolsonaro

Ela passou fome por dois meses, vivendo na rua, até que um dia vendeu uma pedra que havia trago da aldeia, um amuleto que acreditava ser místico. Com o dinheiro ela conseguiu se alimentar por duas semanas.

Ela pensou que conseguiu vender a pedra e imaginou que podia vender outras coisas, com isso, ela conseguiu morar em um camelô. Ela vendeu livros e revistas velhas até conseguir um emprego no Círculo do Livro. Com isso, foi incentivada a estudar.

Sílvia quase foi vítima de um estupro e depois se tornou atleta, sendo medalhista de atletismo pelo Vasco da Gama. Ela conseguiu uma bolsa para cursar Fisioterapia na faculdade. Depois de formada, ela passou no concurso do Exército e pôde finalmente hastear uma bandeira.

Hoje mãe e avó, Sílvia foi nomeada como secretária nacional da saúde indígena. Antes, ela conduziu o Hospital do Exército, no Rio. Além dessa história de vida incrível, Sílvia foi atriz em “Uga Uga” e “Dois Irmãos”.

Seja o primeiro a curtir!

Comentários

avatar

As pessoas também curtiram

Histórias relacionadas
1.
Com o decreto de Bolsonaro, qualquer brasileiro poderá comprar um fuzil
2.
O brasileiro não tem um dia de paz: Versão brasileira de Shallow gera memes
3.
VÍDEO: Empresária acorda moradora de rua com balde d’água e gera revolta
4.
“Tudo pequenininho aí?” Bolsonaro fala com japonês sobre o PIB brasileiro
5.
Bolsonaro se atrapalha e deixa Deus fora de seu 'chavão'
6.
Há indícios claros de que Flávio Bolsonaro lavou dinheiro, afirma MP
7.
Patrões amarram doméstica em árvore como punição
8.
Joana D’Arc: Um dos maiores orgulhos recentes do país mentiu em sua história
9.
Ganhador da Mega fez aposta de R$ 3,50 pela internet
10.
Homem desce de carro de luxo e executa morador de rua no ABC Paulista
500x500
500x500