Cooperativismo no Brasil: conheça sua história e importância

O cooperativismo existe legalmente no Brasil desde 1971.

De acordo com a lei 5.764 daquele ano, as cooperativas não podiam dispor de autonomia e estavam submetidas a uma série de interferências. O cenário só mudaria com a constituição de 1988.

E somente na década de 1990 o cooperativismo brasileiro ganhou reconhecimento internacional.

Na mesma época também foi fundada a Sescoop (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo) para incentivar as cooperativas pelo país.

Hoje são aproximadamente 400 mil pessoas empregadas no ramo do cooperativismo. No ramo da agricultura, fornecem quase 50% de toda a produção do país.

Assim, hoje o cooperativismo no Brasil deve ser encarado como peça fundamental para a produção e para a economia.

Leia aqui mais sobre este assunto e aprenda sobre como as cooperativas aquecem o mercado brasileiro.

Ramos do cooperativismo no Brasil

Existem vários tipos de cooperativas no Brasil. Você irá se surpreender com a lista abaixo. Esses são apenas alguns dos ramos do cooperativismo no país:

Agropecuária;

Consumo;

Crédito;

Educação;

Mineração;

Saúde;

Transporte;

Lazer e turismo.

Todos esses ramos tem um único objetivo. O de juntar pessoas com vistas a um fim. Assim, se essas pessoas possuem interesse na agropecuária, as pessoas se juntam para maximizar seus lucros.

Mas não se restringe só a agropecuária, pode servir para vários tipos de serviço. Assim, as cooperativas de crédito, por exemplo, não são como os bancos.

E sim, são locais onde você consegue empréstimos a juros menores. Afinal, não possuem as mesmas intenções que as instituições bancárias.

Como me associar a uma cooperativa

Se você se interessou por este modelo de negócio, pode querer se associar a uma cooperativa caso seja um empreendedor.

Mas não pense que você não precisa ter uma série de responsabilidade ao firmar um acordo com uma cooperativa. Elas são extremamente organizadas para que possam ser justas com todos os seus integrantes.

Assim, basta que você escolha qual o ramo que você quer entrar. Lembre-se que a cooperativa possui adesão livre e voluntária como um de seus princípios. Por isso, escolha cuidadosamente em qual você irá entrar.

Não deixe de analisar com severidade o estatuto social. Ali você terá as informações sobre os seus direitos e deveres em relação à cooperativa.

Feito isto, basta que você faça dê início a sua participação econômica e pronto! Já estará fazendo parte da cooperativa e poderá desfrutar de seus benefícios.

Posso fazer uma parceria com uma cooperativa?

Mas, caso você tenha uma empresa e não pretende entrar em uma cooperativa, pode estar na dúvida se vale a pena fechar negócio com uma delas.

A resposta é sim.

Com ela você poderá conseguir o que necessita a custos menores.

Afinal, os gastos de uma cooperativa com funcionários é muito menor que em uma empresa. Diante disso, o produto final também terá valor reduzido.

Além disso, para uma cooperativa se manter no mercado, ela precisa sempre se atualizar.

Assim, você terá a certeza de que contratou um serviço atualizado e de qualidade.

0