Google Glass: Óculos inteligente aposta nas empresas em nova fase

Foto:

O Google Glass é um dispositivo óptico com uma pequena interface gráfica no campo de visão de um dos olhos do usuário. A intenção era transformá-lo em um produto similar a um telefone celular.

O Google Glass contava com câmera embutida, GPS, sensor de movimento, acesso a internet, Bluetooth e rodava o sistema operacional Android. Ele incluía mapas, chamadas de vídeo, avisos sobre clima, informações sobre estabelecimentos, câmera e realidade aumentada.

O Projeto Glass foi lançado pela Google com a premissa de que mudaria a forma de como as pessoas utilizavam dispositivos tecnológicos, computadores e a internet. Mas fracassou.

Por que o Google Glass não fez sucesso?

Os óculos custavam em torno de US$ 1500 dólares quando foi aberta a fase de comercialização em 2014.

Para o usuário comum, o produto foi um fiasco. Críticas negativas apareceram sobre violação de privacidade e sobre a sensação de invasividade de aparelho, que além de rastrear os seus passos, também vê o que você está vendo.

Os óculos também foram alvo de especulações sobre estar tirando fotografias sem a permissão dos usuários. O fato é que para quem já utiliza celulares, o Google Glass seria um gadget caro e inútil apesar de ser criado para ser um coadjuvante.

Nova fase do Google Glass volta-se às empresas

Em 2016, a Google decidiu cancelar as vendas do produto para consumidores comuns e comercializá-lo apenas para desenvolvedores e empresas.

Durante os anos seguintes, o Google Glass passou por uma reformulação, focando suas funcionalidades para empresas e indústrias. Assim surgiu o

Google Glass Enterprise Edition 2
, em 2019. As melhorias vão desde o design, passando pelo processador (Quadcore 1,7 GHz) e a qualidade de vídeo (8Mp), touchpad, tela de interface, microfone e bateria.

A nova versão do dispositivo promete auxiliar a produtividade e segurança dos processos logísticos, de fabricação, agricultura e até mesmo para fins administrativos em ambientes hospitalares. A nova premissa do gadget gira em torno da produtividade dos funcionários: eficiência no uso do tempo, praticidade e “mãos-livres” para trabalhar melhor, como está reforçado nos vídeos promocionais e no site oficial do projeto.

Como o Google Glass está sendo adotado nas empresas

O site oficial da ferramenta também conta com algumas empresas que adotaram a utilização do Glass: a multinacional de equipamentos agrícolas AGCO, o conglomerado multinacional General Electric, a alemã de logística DHL e a Sutter Health de assistência médica.

A Google parece ter acertado o caminho para um produto destinado ao fracasso frente ao usuário comum e transformá-lo em uma ferramenta.

Como estão lidando com empresas, a privacidade e segurança dos dados deverão ser reforçadas.

0