SEGUE
Ciência e Tec / Vida Digital

José Aldair Morsch's Vida Digital Collection

José Aldair MorschJosé Aldair Morsch
7 Historia
0 Seguidor
0 Compartilhar

APARELHO DE ELETROCARDIOGRAMA: TIPOS, MODELOS, COMO FUNCIONA E COMODATO

Escolher o aparelho de eletrocardiograma é uma etapa imprescindível para qualificar a oferta do exame.

E é assim porque o modelo e a marca fazem diferença nos resultados, sendo aspectos tão importantes quanto a técnica do profissional treinado para conduzir o teste.

Independente de estar buscando um aparelho para comprar ou alugar, essa é uma escolha que deve ser embasada em critérios claros e rigorosos.

Afinal, existem diversos tipos de aparelhos disponíveis – e definir qual melhor atende à sua realidade e necessidades pode evitar dores de cabeça.

Isso sem falar no diferencial importante que sua clínica ou hospital assume ao oferecer ao público um exame médico de alta qualidade.

Para te ajudar nessa tarefa, no artigo de hoje, você descobrirá tudo o que precisa saber sobre o aparelho de eletrocardiograma.

Boa leitura!

O que é um aparelho de eletrocardiograma?

O que é um aparelho de eletrocardiograma?

O que é um aparelho de eletrocardiograma?

Há mais de 100 anos, um médico pesquisador alemão, chamado Emil du Bois-Reymond, percebeu que era possível capturar a eletricidade da nossa pele, mesmo sem saber exatamente como ela era gerada.

E foi com o estudo da fisiologia que descobrimos que as células do coração são automáticas e geram a eletricidade que percebemos na pele.

A partir daí, viu-se a necessidade de conseguir medir essa eletricidade e entender melhor o que ela representava.

Então, por meio da adaptação de um galvanômetro, um aparelho usado por eletricistas para medir diferenças de potencial na rede elétrica da casa ou no carro, descobriu-se que era possível captar a energia da nossa pele.

Com a sua utilização e o posicionamento correto dos eletrodos no corpo, tornou-se possível desenhar a atividade elétrica do nosso coração.

Ao longo dos anos, a indústria aperfeiçoou esse aparelho e foi, então, que surgiu o eletrocardiograma.

Hoje, ele já passou da era analógica, quando registrava no papel a atividade elétrica, para o modelo atual, que é totalmente digital.

Como a história evoluiu com os tipos de aparelho de eletrocardiograma

Como a história evoluiu com os tipos de aparelho de eletrocardiograma

Como a história evoluiu com os tipos de aparelho de eletrocardiograma

Com um histórico mais que centenário, o eletrocardiograma é conhecido por ser o equipamento capaz de medir a atividade elétrica cardíaca.

E isso acontece ao utilizar um eletrocardiógrafo para mensurar os batimentos por meio de um gráfico que expõe em linha contínua a sua intensidade.

O exame é um dos preferidos dos cardiologistas para detectar problemas no coração ou outras patologias cardiovasculares.

Ele possui diversos tipos que realizam a triagem de doenças relacionadas ao sistema cardiovascular.

Também conhecido por ECG, ou EKG – “elektrokardiogramm”, como é mais comumente dito em alemão -, ele foi criado por Willen Einthoven, estudante de medicina na Universidade de Medicina da Holanda, natural da ilha de Java.

Embora outros cientistas sejam reconhecidos pelo desenvolvimento de técnicas e equipamentos que também possuíam função de realizar diagnósticos de doenças cardiovasculares, Einthoven é tido como seu criador.

Willen desenvolveu o aparelho de eletrocardiograma por meio de um sistema mais sensível e direto.

Tornou possível identificar a tensão cardíaca do paciente ao inventar um dispositivo chamado galvanômetro de corda.

Ele registra as tensões de maneira mais fiel por meio das renomadas cinco deflexões que são mostradas no laudo médico por meio de traçados.

Cada linha é identificada por uma letra (P, Q, R, S e T) e elas se tornaram a identificação oficial utilizada até hoje.

O que é um aparelho de eletrocardiograma ideal?

O que é um aparelho de eletrocardiograma ideal?

O que é um aparelho de eletrocardiograma ideal?

Para escolher um aparelho de eletrocardiograma ideal, não basta ser um equipamento que avalia a atividade cardíaca e está registrado na Anvisa – o que é básico.

Existem diversos aparelhos analógicos no mercado, além dos mais variados modelos de ECG digital.

Diante dessa diversidade de opções, o primeiro passo é descartar os analógicos e escolher o melhor entre os digitais.

Características técnicas do aparelho de eletrocardiograma ideal

Mas, afinal, como escolher o melhor entre os digitais?

É importante estar atento a quatro características principais:

1. O aparelho deve ser compacto

Sim, quanto menor o aparelho, mais fácil será de manusear e de guardar em local seguro e que não ocupe espaço.

2. Além de compacto, deve ser portátil

A portabilidade permite levá-lo para qualquer lugar, seja dentro do hospital – circulando pelos postos de atendimento sem que haja a necessidade de levar o paciente para a sala do exame -, seja para levar o aparelho para as empresas em que são realizados exames ocupacionais.

3. Possa ser conectado ao USB do computador

Neste caso, tanto a transmissão dos dados, quanto a alimentação do aparelho de eletrocardiograma é realizada pelo cabo USB conectado em um notebook.

Isso permitirá realizar um exame onde não há energia elétrica, já que ele poderá utilizar a bateria do notebook, trazendo total autonomia ao usuário.

4. O software para realizar o exame deve ser de fácil usabilidade, de forma que o usuário navegue facilmente

Um dos problemas encontrados na tecnologia é oferecer muitos recursos que nunca serão usados durante um exame em um aparelho de eletrocardiograma.

Por isso, é preciso optar por um software limpo, objetivo, de fácil manuseio, sem muitos cadastros e que traga rapidez na execução do exame.

O ECG e a eletrofisiologia: como eles andam juntos?

O ECG e a eletrofisiologia: como eles andam juntos?

O ECG e a eletrofisiologia: como eles andam juntos?

A eletrofisiologia cardíaca teve vários precursores, especialmente no século XIX, época em que o aparelho de eletrocardiograma foi criado e aperfeiçoado.

Mesmo que os primeiros aparelhos para se medir a tensão cardíaca tenham surgido com o auxílio de Augustus Waller, em 1887, foi Willen Einthoven o responsável pela criação do modelo capaz de conferir maior confiança e segurança no momento de determinar alguma anomalia cardiovascular.

Como a eletrofisiologia precisa de métodos claros e diretos para identificar possíveis problemas que acontecem no sistema de condução elétrica do coração, o aparelho de eletrocardiograma oferece uma representação bastante ampla do que está acontecendo com esse órgão.

Ele também ajuda o médico a oferecer e realizar tratamentos mais eficazes para solucionar problemas de distúrbios de condução e arritmias.

E como o aparelho de eletrocardiograma funciona?

Como já se sabe, o ECG de repouso é feito por meio da medição do potencial elétrico pelo galvanômetro em diferentes pontos do corpo.

Ao todo, o eletrocardiógrafo consegue dar o resultado com o posicionamento de 12 derivações pelo corpo, sendo que cada uma registra a atual situação de determinadas partes do coração.

De modo bem simples, podemos dizer que:

  1. As derivações combinadas D1, D2, D3, AVF, laterais, referem-se ao lado esquerdo do ventrículo esquerdo, uma das partes laterais do coração (lembrando que temos o ventrículo direito que também pode ser analisado)
  2. As derivações inferiores observam a parte inferior do coração, mais especificamente o vértice do lado esquerdo do ventrículo, sobre o estômago
  3. As derivações de V1 a V6, colocadas no tórax do paciente, se encarregam de vistoriar a parede anterior do coração, a parte frontal do ventrículo esquerdo e a parte lateral alta
  4. A derivação aVR comprova se todas as outras derivações foram colocadas corretamente na área do coração e afirma o resultado obtido pelo processo.

Todas elas atuam por meio de despolarizações e repolarizações que enriquecem o diagnóstico do paciente.

A posição dos eletrodos pode determinar variados aspectos e, dependendo do que o profissional de saúde deseja verificar, podem ser avaliadas sete possibilidades de doenças:

  • Detecção de anomalias como bloqueios de ramo
  • Identificação da condição atual do coração quando a obstruções das coronárias
  • Existência de alguma hipertrofia ou estenose mitral
  • Verificação de superconcentração ou baixa de vitaminas
  • Avaliação de minerais ou outros recursos importantes ao bom funcionamento do sistema cardiovascular, como o cálcio e o potássio
  • Identificação de alguma doença não cardíaca, como embolias pulmonares e AVC
  • Disfunção de marcapasso ventricular.

Incrivelmente, desde a invenção do eletrocardiograma usando registros em papel até os dias atuais, com eletrocardiograma digital e análise vetorial, a função do aparelho não se modificou.

O que ocorreu foi uma melhora da qualidade do traçado e aprofundamento dos cálculos na análise vetorial para auxílio do diagnóstico em casos complicados, envolvendo distúrbios de condução.

O aparelho de eletrocardiograma reduziu de tamanho, se integrou ao computador (ECG digital) e continuou mostrando os mesmo registro desde a sua invenção.

A diferença é que, agora, tem qualidade superior e condições de compartilhar os registros pela internet, a partir da utilização de uma plataforma de telemedicina.

O que tem em todo aparelho de eletrocardiograma e que é obrigatório?

O que tem em todo aparelho de eletrocardiograma e que é obrigatório?

O que tem em todo aparelho de eletrocardiograma e que é obrigatório?

Tanto o aparelho de eletrocardiograma analógico quanto o digital precisam ter duas características obrigatórias determinadas pela Anvisa.

Veja quais são:

Proteção de desfibrilador

Uma condição fundamental para proteger não só o aparelho de ser fritado durante o uso do cardioversor em uma parada, mas também para não causar danos ao paciente.

As ventosas

Possuem seis eletrodos que são usados no peito do paciente ou estão nos grampos utilizados em membros que aceitam garras ou pinos.

O que seria um aparelho de eletrocardiograma desqualificado?

O que seria um aparelho de eletrocardiograma desqualificado?

O que seria um aparelho de eletrocardiograma desqualificado?

Para saber se um aparelho é qualificado ou não, o primeiro ponto é entender em qual situação ele será utilizado.

Podem ser duas:

1. Utilização em escritório particular

Neste caso, pode até ser que o médico se satisfaça com um modelo analógico que ainda é vendido no mercado.

Mas ele dependerá da indústria para comprar o papel quadriculado para o aparelho, sem perceber que o registro se apaga em cinco anos.

2. Utilização em vários ambientes simultâneos

Esse é o cenário mais visto atualmente.

Para clínicas, hospitais, estabelecimentos de medicina ocupacional, entre outros, o uso de um aparelho digital traz a tranquilidade da portabilidade e do uso de uma plataforma de telemedicina que interpreta os exames em poucos minutos.

Ele permite enviar o arquivo do exame pela internet e receber o laudo médico com mais agilidade, além da armazenagem dos procedimentos na nuvem.

A intenção aqui não é criticar quem usa um aparelho analógico, mas ajudar quem está procurando adquirir um aparelho para seu trabalho.

Então, procure evitar:

  • Aparelhos analógicos
  • Aparelhos digitais que precisam de rede elétrica
  • Aparelhos que não são portáteis
  • Aparelhos com software muito complexo
  • Aparelhos de alto custo que fazem o mesmo que marcas famosas.

Modelos de aparelhos de eletrocardiograma existentes no mercado brasileiro, registrados na Anvisa

Conheça agora quais são os principais modelos de aparelhos de eletrocardiograma existentes no Brasil.

1. Aparelho de ECG com laudo

Este aparelho tem na sua configuração um software que, ao imprimir o ECG em tira ou folha quadriculada, libera um pré-laudo e, ao final do relatório, sugere a revisão por um cardiologista.

2. Aparelho de ECG analógico

Um modelo antigo ainda vendido que usa papel em tira de impressão e que já foi considerado como um dos melhores em termos de qualidade de traçado é o Ecafix.

O cardiologista avalia o resultado da esquerda para a direita (como se tivesse lendo um jornal) e escreve a sua avaliação em um receituário ou no traçado, assina e carimba.

3. Aparelho de ECG digital

A evolução nos aparelhos de eletrocardiograma se deu juntamente ao advento do computador, o que, inicialmente, propiciou grandes melhorias quando acoplado com cabo serial.

Hoje, não encontramos mais computadores com essa porta, mas sim com cabo USB e micro-USB, o que traz mais qualidade, agilidade e nitidez aos exames.

Marcas de aparelho de ECG digital no mercado

Depois dos modelos, chegou a hora de ver quais são as principais marcas de aparelhos de ECG digital à sua disposição.

1. Aparelho de eletrocardiograma da HW ECG V6

Aparelho de eletrocardiograma da HW ECG V6

Aparelho de eletrocardiograma da HW ECG V6

O HW ECG V6 é um aparelho robusto, resistente e que pode ser levado para qualquer lugar para realização dos exames.

Essa é uma das marcas que a Telemedicina Morsch possui no serviço de comodato.

2. Aparelho de eletrocardiograma do fabricante TEB modelo ECGPC

Aparelho de eletrocardiograma do fabricante TEB modelo ECGPC

Aparelho de eletrocardiograma do fabricante TEB modelo ECGPC

Outra marca consagrada no mercado é a TEB do Brasil, com tecnologia 100% brasileira e que não perde em nada para os concorrentes estrangeiros.

O aparelho de ECG digital da TEB ECGPC também se mostrou um gigante nos trabalhos de exames à distância e faz parte do serviço de comodato para os clientes da Telemedicina Morsch.

3. Aparelho de eletrocardiograma da Micromed, modelo Wincardio

Aparelho de eletrocardiograma da Micromed, modelo Wincardio

Aparelho de eletrocardiograma da Micromed, modelo Wincardio

O Wincardio é, sem dúvida, o líder de vendas no Brasil.

Foi uma das primeira empresas a trabalhar em parceria com a Telemedicina Morsch no comodato de aparelhos para os clientes.

Aos poucos, as outras marcas foram adquirindo mercado e qualidade, levando a mais diversificação para o segmento.

4. Aparelho de eletrocardiograma fabricado pela Ventrix, modelo cardiofit

Aparelho de eletrocardiograma fabricado pela Ventrix, modelo cardiofit

Aparelho de eletrocardiograma fabricado pela Ventrix, modelo cardiofit

Este aparelho segue o mesmo modelo dos anteriores: portátil, robusto, com boa definição do traçado e possibilidade de envio dos registros direto para a plataforma de telemedicina.

Quais as limitações do aparelho de ECG?

É importante reforçar que, na busca por doenças relacionadas ao sistema cardiovascular, não basta realizar um eletrocardiograma de repouso e se satisfazer com um resultado normal caso o paciente continue a apresentar dores no peito que pioram no esforço.

Portanto, é preciso continuar a investigação com a realização de exames mais profundos.

Para cada 10 pessoas com doença cardíaca instalada, o ECG consegue mostrar a sua existência apenas em três.

Os outros sete que tiveram resultado normal precisam complementar a investigação com exames mais precisos, como é o caso de um exame de esforço em esteira.

Uso aparelho de ECG analógico com impressão em papel, posso usar a Telemedicina Morsch?

A plataforma de telemedicina da Morsch aceita exames de qualquer aparelho que executa eletrocardiograma, eletroencefalograma, espirometria, exames radiológicos, entre outros.

No caso de exames impressos, basta escanear ou fotografar o resultado com um smartphone e anexar as imagens ao sistema.

Importância do laudo a distância do eletrocardiograma para clínicas e hospitais

Como vimos ao longo do artigo, o ECG tem um papel fundamental para alertar o paciente sobre cardiopatias mais graves.

Portanto, ele deve ser feito da forma correta, com um bom aparelho e trazer um laudo completo e de qualidade, que não deixe passar nenhum detalhe que possa comprometer a saúde do paciente.

Nesse sentido, o laudo à distância é de grande importância, pois os resultados dos exames são avaliados com maior rapidez e segurança, ficando a cargo de médicos cardiologistas experientes.

Ao buscar uma parceria com empresa de telemedicina, hospitais e clínicas não precisam contar com especialistas de plantão ou investir na contratação desse profissional.

Vantagens do laudo de eletrocardiograma à distância

Vantagens do laudo de eletrocardiograma à distância

Vantagens do laudo de eletrocardiograma à distância

Confira, agora, uma relação comas principais vantagens de contar com o laudo à distância para exames de ECG.

1. Os laudos de eletrocardiograma ficam salvos na nuvem

A plataforma de telemedicina permite que todos os exames e seus resultados fiquem salvos na nuvem, o que dá maior segurança para os dados e possibilita uma consulta mais rápida e confiável ao banco de dados da empresa.

2. O eletrocardiograma é interpretado por cardiologistas

A empresa de telemedicina possui uma central de especialistas em todas as áreas da medicina.

No caso do ECG, os resultados do exame são analisados e laudados somente por cardiologistas especialistas não apenas na área, mas também no teste.

3. Disponibilidade de segunda opinião médica quando solicitado

Por meio da plataforma de telemedicina, é possível solicitar uma segunda opinião para a interpretação do resultado do exame caso surja alguma dúvida.

4. Laudos remotos de ECG emitidos 24 horas por dia

Ao utilizar o serviço de laudos à distância em conjunto com a plataforma de telemedicina, a clínica conta com o suporte de profissionais especializados disponíveis 24 horas por dia.

Isso permite a emissão de laudos a qualquer momento.

5. Comodato de aparelhos de eletrocardiograma quando solicitado

Caso a clínica não queira investir na compra de um aparelho de ECG, ela pode optar pelo serviço de comodato.

Dessa forma, ela pode oferecer o exame de eletrocardiograma e ainda ter as facilidades da plataforma de telemedicina.

Como faço para ter o aparelho de eletrocardiograma em comodato?

O serviço funciona da seguinte forma: o cliente recebe o aparelho, paga uma mensalidade e recebe mensalmente de forma gratuita 30 laudos.

Caso faça mais que 30 exames, o sistema calcula a diferença e cobra separado.

Para clientes que estão em fase de pesquisa no mercado para aquisição do aparelho de eletrocardiograma, a recomendação é conversar com a empresa de telemedicina para descobrir qual marca e modelo de equipamento melhor irá se adequar a sua necessidade.

-> Solicitar orçamento de comodato de aparelho de eletrocardiograma

Decida entre compra e comodato do aparelho de eletrocardiograma usando a Telemedicina Morsch

Dependendo da estrutura de seu serviço, você pode comprar um aparelho e contar com a consultoria da Tele31medicina Morsch para essa escolha ou utilizar o equipamento em comodato.

Caso você tenha o projeto de enviar os exames para uma empresa de telemedicina, então, vale muito a pena analisar a opção de comodato.

Nessa modalidade, não há o investimento de compra do aparelho de eletrocardiograma.

O cliente recebe o equipamento em comodato e paga uma mensalidade que inclui um número significativo de laudos dentro do contrato.

Quer saber mais? Entre em contato conosco e veja opções que atendem à sua necessidade.

Conclusão

O aparelho de eletrocardiograma evoluiu ao longo do tempo e isso fez com que surgissem inúmeros modelos no mercado.

Mas escolher o ideal para o seu negócio envolve uma análise detalhada sobre qual será o seu uso e o que você busca com esse equipamento.

Independente da situação, um aparelho de ECG digital traz mais recursos, o que permite maior facilidade e disponibilidade para a execução dos exames.

Além disso, existe ainda a opção do aluguel em regime de comodato, que permite um investimento menor inicial e também pode ser utilizado em conjunto com a plataforma de telemedicina para a emissão de laudos à distância.

Agora que sabe tudo sobre o tema, não deixe de entrar em contato para saber mais sobre como se tornar parceiro da Morsch.

Se desejar, teste grátis a nossa plataforma de telemedicina.

Caso tenha gostado do artigo, compartilhe em suas redes sociais!

Referências Bibliográficas

GUIMARAES, Jorge Ilha; MOFFA, Paulo J.; UCHIDA, Augusto H.; BARBOSA, Paulo Benchimol. Normatização dos equipamentos e técnicas para a realização de exames de eletrocardiografia e eletrocardiografia de alta resolução. Arq. Bras. Cardiol. vol.80 no.5 São Paulo May 2003.

FERNANDES, Cátia Rafaela Rodrigues. Avaliação e Melhoria da Qualidade de Sinais ECG Adquiridos em Sistemas Vestíveis. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Junho de 2017.

GUILIANO, Isabela de Carlos Back; BARCELLOS, Cloves Langendorf; et al. Emissão de laudos eletrocardiográficos a distância: experiência da rede catarinense de telemedicina. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2012, vol.99, n.5, pp.1023-1030. Epub Oct 18, 2012.

Este artigo foi originalmente publicado em https://telemedicinamorsch.com.br/blog/aparelho-de-eletrocardiograma

0
0
0
0
José Aldair Morsch's Vida Digital Collection

LAUDO DE TESTE ERGOMÉTRICO: O QUE É? PARA QUE SERVE?

O laudo de teste ergométrico é uma demanda comum em clínicas e hospitais.

Também conhecido como teste de esforço, trata-se de um exame que verifica como está sistema cardiovascular do paciente quando sujeito a uma maior exigência.

E, por ser um exame tão importante, que avalia inúmeras variáveis, seu laudo deve ser assinado por cardiologistas.

Se você quer saber mais sobre o teste ergométrico, para que serve e como se dá a emissão do seu laudo no formato a distância, está no lugar certo.

Continue a leitura do artigo e descubra todas as informações que você precisa sobre o teste ergométrico.

O que é laudo de teste....

0
José Aldair Morsch's Vida Digital Collection

QUALIDADE DO ELETROCARDIOGRAMA: FATORES QUE PREJUDICAM A QUALIDADE DO ECG

A qualidade do eletrocardiograma depende de uma série de fatores, que envolvem equipamentos, técnicas, posicionamento do paciente e eletrodos.

Problemas em qualquer um deles podem resultar em distorções nos gráficos do exame, que prejudicam sua interpretação, requerendo um novo teste para monitorar a atividade cardíaca.

Há alterações no ECG que podem ser identificadas com facilidade durante o procedimento, enquanto outras são mais difíceis de detectar.

Daí a importância de conhecer o traçado de um....

0