'Lula preso amanhã': o impasse sobre prisões em segunda instância na Lava Jato

'Lula preso amanhã': o impasse sobre prisões em segunda instância na Lava Jato

O julgamento do ex-presidente petista levanta a decisão do STF que agora pode ser revogada. Será que ele será preso? Ou será que a turma de Gilmar Mendes pode lhe conceder uma chance de concorrer à presidência?

(Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas)

41O Antagonista42

O julgamento marcado pelo TRF-4 envolvendo Luiz Inácio Lula da Silva pode acabar em condenação, mas não necessariamente em cadeia. E muito do impasse não envolve necessariamente os tribunais que o julgaram, mas o Supremo Tribunal Federal (STF).

Em outubro de 2016, a corte decidiu que penas em segunda instância já exigem a execução de condenação. O caso começou a ser analisado pelo Plenário em 1º de setembro, quando o relator das duas ações, ministro Marco Aurélio, votou no sentido da constitucionalidade da proposta de revisão de jurisprudência. A medida é controversa, porque ela representa com uma contradição com o princípio de presunção de inocência na lei brasileira, que inclui recursos em cortes superiores.

O fato é que a decisão contribuiu para que o juiz Sérgio Moro executasse, em primeira instância, ainda mais prisões preventivas e diversos acusados da Operação Lava Jato cumpriram penas em segunda instância. É exatamente neste caso que se encaixa o processo do ex-presidente Lula.

Quem quer voltar atrás?

 Com Michel Temer no poder e as delações da JBS atingindo o PSDB e o PMDB, além do PT, a pressão política para diminuir a velocidade da Justiça surgiu. Os ministros do STF Dias Toffoli e Gilmar Mendes se manifestam favoráveis às penas não serem cumpridas em segunda instância, reafirmando o poder do Supremo sob Carmen Lúcia.

 No entanto, apesar da pressão de políticos investigados e de juízes que possuem um relacionamento público aberto com congressistas, a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, é uma das poucas que se manifestou abertamente para manter a medida. No âmbito da Lava Jato, o maior defensor histórico das prisões em segunda instância é o juiz Moro.

Os recursos de Lula

Fora a possibilidade de ser preso, há argumentos jurídicos que a defesa de Lula usará para que ele não seja sequer condenado. De acordo com a reportagem do jornal Folha de S.Paulo, a equipe jurídica do ex-presidente pode apresentar embargos infringentes ou de nulidade no processo do triplex do Guarujá.

A análise dos embargos pelo TRF-4 pode arrastar uma condenação de seis até oito meses. Se isso ocorrer e não existir a mesma velocidade que ocorreu agora, Luiz Inácio Lula da Silva poderá se candidatar e, caso vença, ganha o foro privilegiado de presidente da República.

Lula pode ir preso amanhã? Daqui a um mês? A Justiça pode ter sido rápida para marcar o seu julgamento, mas há uma série de fatores que podem fortalecer o petista. 

Seja o primeiro a curtir!

Comentários

avatar

As pessoas também curtiram

Histórias relacionadas
1.
Homem esquece aliança em casa e recebe mensagem enigmática
2.
UEFA não garante segurança e Mkhitaryan está fora da final da Euro League
3.
‘Daenerys’ comenta a reação que teve ao ver o roteiro final de Game of Thrones
4.
Bolsonaro ‘perdoa’ R$ 70 milhões em multas de partidos políticos
5.
Mulher se cansa de vizinhos “intrometidos” e faz uma faixa hilária
6.
Bolsonaro usa vídeo “inusitado” para se defender das manifestações 
7.
Maior corte da Educação nos últimos 5 anos foi feito por Dilma, em 2015
8.
Há indícios claros de que Flávio Bolsonaro lavou dinheiro, afirma MP
9.
Nos EUA, Bolsonaro chama estudantes que protestam de idiotas
10.
Ganhador da Mega fez aposta de R$ 3,50 pela internet
500x500
500x500