“Nós confiamos irrestritamente em Moro”, afirma Bolsonaro

Na noite desde domingo (9) a Intercept publicou uma matéria onde mensagens do ministro Sérgio Moro e procuradores foram trocadas. De acordo com o site, Moro, na época ainda o juiz responsável pela Lava Jato cobrou novas operações e orientou ações dos procuradores.

Segundo Fabio Wajngarten, secretário de comunicação da presidência, Bolsonaro foi informado sobre o vazamento dessas mensagens e por duas vezes disse: “Nós confiamos irrestritamente em Moro”.

Mesmo assim, o presidente deve se reunir com o ministro para o esclarecimento dessas mensagens ainda hoje (11). Caso essa troca de mensagens entre Moro e os procuradores seja mesmo verídica, a gravidade desses fatos pode ter um impacto estrondoso no governo.

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) publicou uma nota sobre o caso.

“A íntegra dos documentos deve ser analisada para que, somente após o devido processo legal – com todo o plexo de direitos fundamentais que lhe é inerente –, seja formado juízo definitivo de valor. [...] Não se pode desconsiderar, contudo, a gravidade dos fatos, o que demanda investigação plena, imparcial e isenta, na medida em que estes envolvem membros do Ministério Público Federal, ex-membro do Poder Judiciário e a possível relação de promiscuidade na condução de ações penais no âmbito da operação lava-jato. Este quadro recomenda que os envolvidos peçam afastamento dos cargos públicos que ocupam, especialmente para que as investigações corram sem qualquer suspeita”

0