O que é ser gay?

O que é ser gay?

Nato
Autor Nato
Inquietudes
Coleção Inquietudes
O que é ser gay?

O que é ser gay? Ser gay é, antes de tudo, ter medo. Medo de ser descoberto. Medo de não ser aceito. Medo de ser agredido. Medo de amar. Além disso, ser gay é em algumas vezes sufocar todo esse amor por medo.

Ser gay é ter que dizer para aqueles que ainda não entendem que não é uma escolha, mas sim uma condição. Quem em sã consciência escolheria sofrer preconceito, escolheria ser agredido, escolheria não ser aceito, escolheria ter medo? Então não foi o ambiente, não foi a cultura e não foi a educação que nos fez assim. Nascemos dessa forma, assim como você, o outro, nasceu gostando do sexo oposto. Você consegue se lembrar do momento exato em que escolheu ser hétero? Portanto, eu não “virei” gay, não tem um botão de liga e desliga. Mas já que a seu ver nós “viramos”, isso se aplica a você também, cuidado, a qualquer momento você pode “virar”, como um vírus da gripe que está no ar. Por falar nisso, não estamos doentes, não precisamos de tratamento e cura, mas sim de respeito.

Somos obrigados a ouvir que um beijo entre dois homens ou duas mulheres em uma novela pode influenciar as crianças. E eu que cresci rodeado de heterossexuais na família, na escola, nos filmes, na novela, na igreja. Antes tivesse alguma referência gay, talvez não tivesse me sentido “fora do normal” e não me questionasse tanto sobre quem eu sou ou por que sou diferente dos outros, “onde estão os que são como eu? ”, representatividade é importante. Até mesmo, talvez não tivesse demorado tanto para me assumir, pois é eu preciso dizer para as pessoas das quais me importo: “eu sou gay”, mas me diz sobre você, quando você assumiu para todos que é hétero? Eu sou gay, e continuo sendo o mesmo de antes de você saber. Mas é bom dizer, é bom ter orgulho de quem si é, principalmente em um país que nos exclui, que nos mata. Eu estou aqui, apesar de você.

Ando lado a lado com meu namorado, enquanto vejo casais hétero segurando a mão um do outro, mas para mim não é permitido, não demonstre em público. Já ouvi inclusive “tudo bem ser gay, mas precisa demonstrar tanto?”. Então para ser aceito, eu preciso ser outro alguém, de preferência o mais parecido com os héteros pelo o que eu entendi. E assim modulam a minha voz, escolhem minhas roupas, reclamam do meu jeito de sentar, andar. Eu sou gay, mas não significa que todos os gays são iguais, cada um é diferente do seu jeito (até o óbvio precisa ser dito), e cada um tem direito de ser o que é e como é (vivemos em uma era em que o óbvio precisa sempre ser reforçado). O que vale para você, as suas verdades, não vale para mim. Será mesmo que existe um inferno para o qual você diz que iremos? E como saberei a diferença daqui com lá já que você faz das nossas vidas um inferno?

É difícil ter medo de dizer quem você é para os pais e não saber qual será a reação deles. É difícil, pois você se importa tanto com eles que a forma como eles reagiriam pode te machucar profundamente. É difícil também ter uma vida paralela e não poder compartilhar os momentos felizes com aqueles que amamos e que não fazem ideia dessa vida. É difícil juntar essas pessoas (elas coexistem em mundos diferentes), mesmo tendo uma vontade enorme de tê-los reunidos em uma mesma mesa num almoço de domingo. Confesso que sinto inveja do hétero que mesmo sem ter um compromisso sério pode levar a ficante em casa sem problema algum. Enquanto isso, só não queria sentir tanto medo, pois já seria um grande começo.

Seja o primeiro a curtir!

Comentários

avatar

As pessoas também curtiram

500x500
500x500