Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

MelindArt
Autor MelindArt
Cultura e Artes
Coleção Cultura e Artes
Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

Foto: Hulk Cinéfilo

Se você quiser ficar se gabando por ser cinéfilo na internet pelo menos assista filmes “cults” de verdade. Nada de se gabar por ver Clube da Luta, Interestelar ou qualquer um do Lars von Trier. Aqui estão alguns filmes que realmente valem a pena gastar sua saliva, todos da lista possuem um falatório filosófico que fará você chorar.

Persona (Bergman, 1966)

Persona (Quando Duas Mulheres Pecam) é um filme de Ingmar Bergman, um dos maiores diretores de filmes clássicos da história, conhecido por sempre trazer muito falatório filosófico. Na história, uma famosa atriz sofre um surto emocional e para de falar. Uma enfermeira é designada para cuidar dela, e para quebrar o silêncio, ela começa a falar sobre si sem parar.

IMDB: 8.1

Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

Pierrot le fou (Godard, 1965)

Pierrot le fou (O Demônio das Onze Horas) também foi dirigido por um desses diretores pomposos com essa pegada artística e coisa e tal. Jean-Luc Godard foi mencionado em uma música do Legião Urbana (imagine que animador). Enfim, o filme conta a história de um professor que perdeu o emprego e decidiu fugir com a babá das crianças. Os dois acabam se envolvendo com armas e drogas.

IMDB: 7.7

Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

Harold and Maude (Ashby, 1971)

Harold and Maude (Ensina-me A Viver) é um filme de comédia para alguns, de drama para outros. O filme conta a história do garoto que inventou o meme “Queria estar morta”, o jovem tem como principal passatempo simular seu suicídio. Ele acaba conhecendo uma mulher bem mais velha com quem “aprende a viver”. Na teoria seria um filme lindo com uma mensagem de amor à vida, mas por algum motivo ele só me fez ficar mais depressivo.

IMDB: 8.0

Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

Shame (McQueen, 2011)

Temos aqui um representante mais recente para quem gosta de filmes novos. Shame conta a história de um homem viciado em sexo, ele leva uma vida bastante hedonista até que sua irmã depressiva e suicida chega para morar com ele por tempo indeterminado. Se você quer um motivo a mais para ver esse filme, saiba que Michael Fassbender é o protagonista e há “grandes” cenas dele com nu frontal explícito.

IMDB: 7.2

Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

Les Quatre Cents Coups (Truffaut, 1959)

Les Quatre Cents Coups (Os Incompreendidos) é outro filme de um diretor pomposo François Truffaut, só de conseguir pronunciar seu nome você já pode pagar de cult. Enfim, o filme conta a história de um menino que acha que a vida não faz sentido e passa seus dias tentando melhorar sua existência, ele sempre anda com seu melhor amigo até que um dia, um dos planos dá errado.

IMDB: 8.1

Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

Gummo (Korine, 1997)

Gummo (Vidas Sem Destino) é um filme meio “forte” sobre uma cidade destruída e pessoas que vivem lá, o local é cheio de deformados, pessoas com problemas mentais e sodomia. A maioria das pessoas passa seus dias se drogando ou fazendo atrocidades. Na história, alguns personagens têm de “sobreviver” ao “manicômio”.

IMDB: 6.7

Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade
Foto: Hulk Cinéfilo

Frank (Abrahamsom, 2014)

Frank é outro filme protagonizado por Michael Fassbender (não, eu não tenho fetiche com ele rs). Na história, Jon é um jovem que quer ser músico, ele acaba substituindo um integrante do Soronprfbs, uma banda alternativa liderada por Frank, um homem com problemas mentais que esconde o rosto com uma cabeça gigante o tempo todo. Juntos, os integrantes vão se conhecendo melhor. Aliás, Os Soronprfbs possuem perfil no Spotify e podem ser ouvidos.

IMDB: 7.0

Olhe pra mim, sou cult: 7 filmes cults de verdade

Seja o primeiro a curtir!

Comentários

avatar

As pessoas também curtiram

500x500
500x500