PM pede permissão para pedir namorado em casamento usando farda, pedido é negado

O soldado Leandro Barcelos Prior enviou um pedido formal para a Polícia Militar de São Paulo pedindo permissão para pedir seu namorado em casamento utilizando a farda. Na noite de ontem (19), a instituição emitiu uma nota negando o pedido.

“Considerando, por fim, todas as situações que este policial militar passou e sofreu por homofobia institucionalmente, desde 21 de junho de 2018, este policial militar viu com relevante importância social e excelente oportunidade a instituição para ela evidenciar e acenar a sociedade paulista e brasileira que não compactua com a homofobia” afirma o soldado Prior.

O advogado do PM disse que não vê motivos para que o pedido fosse negado, já que muitos casos semelhantes já foram registrados e difundidos com pedidos de casamento entre heterossexuais.

“Ao protocolar seu pedido, Prior demonstrou ainda mais seu compromisso para com a Instituição ao demonstrar respeito a seus dogmas e preceitos sem se esquecer de sua condição como cidadão e ser humano”, afirmou.

O PM Prior ficou conhecido no ano passado após sua foto beijando um homem enquanto usava farda viralizou na internet. Na época, ele chegou a receber ameaças de morte e teve de se afastar do serviço.

Confira a nota da Polícia Militar:

“O uso da farda na Polícia Militar é regulamentado por normas internas da instituição, as quais não preveem o uso do fardamento por policial militar em folga durante manifestações. Por este motivo, o pedido do soldado foi indeferido. Da mesma forma, há 5 anos, foi indeferido o pedido do grupo “PMs de Cristo”, que queria utilizar o uniforme durante a Marcha para Jesus.”

O pedido seria feito no próximo domingo (23), quando ocorre a Parada do Orgulho LGBT. 

0