Reforma da previdência: vantagem ou desvantagem?

A reforma da Previdência tem sido um dos principais alvos de discussão do governo Bolsonaro. Provavelmente você já ouviu falar algo sobre ela.

Seja nas propagandas do governo, ou nas manifestações contrárias e a favor.

Entretanto, até o momento o presidente ainda não conseguiu que uma de suas principais agendas tivesse a aprovação na Câmara dos Deputados.

Neste artigo você irá aprender sobre os principais pontos da previdência e quais são suas vantagens e desvantagens.

Não deixe de acompanhar esse assunto, afinal, ele afetará o seu futuro como de muitos outros brasileiros.

Afinal, o que é a Reforma da Previdência?

Atualmente as pessoas se aposentam pelos seguintes fatores:

Tempo de contribuição – varia entre 35 anos para homens e 30 para mulheres;

Idade mínima – 65 anos para homens e 60 anos para mulheres;

Soma da idade e o período de contribuição – esta é a conhecida regra 86/96 em que a idade da pessoa mais seu tempo de contribuição deve atingir esses valores. No caso da mulher 86 anos e do homem, 96 anos.

Com este entendimento sobre como funciona Previdência hoje, podemos começar a entender o que mudará caso a Reforma da Previdência seja aprovada na íntegra.

O que mudará na minha aposentadoria?

Caso você não esteja muito perto de completar o seu período para aposentadoria, você será altamente afetado.

Apenas nos casos de faltar 2 anos para se aposentar será possível negociar para que não se tenha de trabalhar por mais um período.

Com a reforma o sistema de 96/86, mudará para 105/100. Ou seja, as mulheres que trabalharem na iniciativa privada precisarão somar entre idade e tempo de contribuição 100 anos e os homens 105.

Entretanto, vale ressaltar que o mesmo não vale para os militares. Estes se aposentarão pelo tempo de contribuição, variando entre 20 anos (homens e mulheres agentes) até 30 anos a depender do caso.

Ou seja, alguém que se tornou agente policial aos 20 anos, poderá se aposentar aos 40 anos.

Pontos a favor

A previdência é um tema que sempre gerou altos custos para o governo.

Ainda mais com o aumento da expectativa de vida da população, espera-se que a cada vez tenhamos mais pessoas aposentadas e um menor número de contribuintes.

Sendo assim com o tempo haveria um rombo na Previdência social.

Para que isso não aconteça, a proposta da reforma pretende regular as contas para que as pessoas contribuam mais e também aprendam a fazer investimentos para o futuro.

Além disso, os direitos dos trabalhadores causam muitos gastos a uma empresa. O melhor seria diminuí-los para que as empresas possam contratar mais e assim o país sair da crise.

Pontos contrários

Existem vários setores preocupados com a reforma da previdência.

No caso do trabalhador rural que costuma a ter um alto desgaste de seu corpo, passou a ser previsto que ele precisa comercializar aquilo que ele produz. Além disso, a idade mínima para a mulher se aposentar seria de 60 anos, como é o caso do homem trabalhador rural.

A principal questão para os economistas contrários a Reforma da Previdência é que ela ainda não produziu déficit, mas sim superavit. Essa é apenas uma forma do governo cortar gastos das empresas.

Sendo assim, é uma reforma que atende mais ao empregador, que terá de pagar menos para contratar alguém do que um benefício para o trabalhador. Este receberá menos quando se aposentar e caso não tenha feito investimentos a longo prazo poderá ter dificuldades em se manter.

0