Rogue One: 10 motivos para ficar (ainda) mais ansioso pela estreia

Antes de tudo, vamos esclarecer de cara uma coisa: você não precisa ser o maior fã de Star Wars para aproveitar esse filme (ou o post!). Apenas não julgue quem é; tudo bem se você nunca soube por onde começar e viu, aleatoriamente, alguns episódios ou se nunca curtiu o tal do Jar Jar Binks. Ou até se prefere mais o lado sombrio da Força. “Rogue One: Uma História Star Wars” é para você também. Dito isso, vamos ao que realmente interessa: aproveitar o que promete ser um dos melhores longas desse ano.

O novo filme trata dos personagens e eventos da famosa saga “Star Wars”, mas não é (propriamente) parte da sequência. Logo, “Rogue One: Uma História Star Wars” não é o Episódio VIII. Com lançamento mundial nessa quinta-feira, 15, o filme é o único da franquia que será o diferentão.

36A Vingança dos Sith37

8. Disney.
As produções dos estúdios têm sido na medida certa pelos últimos lançamentos. Não costumam decepcionar o público e as verbas estão muito além de outros filmes. Difícil errarem a mão, por assim dizer. 
9. Empoderamento feminino.
Machistas já choraram quando saiu o primeiro teaser do filme, que é uma amostra de muito #girlpower no cinema. O personagem principal é uma mulher, que não segue padrões típicos de heróis no cinema. Além disso, teremos Mon Mothma, personagem de Genevieve O’Reilly, a líder dos rebeldes. 
10. Mistério.
No fim, não tivemos muito spoiler do que está por vir, nem por jornalistas que já assistiram à cabine, nem pelos trailers e divulgações até então. O que é legal e lembra um pouco a expectativa gerada pela série antigamente. Não sabemos muita coisa e tudo bem.

Se você ainda não viu, confira o trailer: 

0