SEGUE
Saúde

Saúde mental Coleção

razia90razia90
11 Historia
0 Seguidor
0 Compartilhar

Inteligência emocional: conheça aqui os cinco pilares para lidar com as emoções

De acordo com Daniel Goleman, jornalista científico especializado em Inteligência Emocional, há cinco pilares essenciais para conhecer e aprender a lidar com as próprias emoções. Neste artigo, você vai saber mais sobre esses pilares e sobre o jornalista que os desenvolveu.

Os cinco pilares da inteligência emocional

O interessante de conhecer esses pilares é que, uma vez que você os compreende, leva esse conhecimento para a vida toda, modificando toda uma forma de pensar e agir. Veja abaixo:

Conhecer suas emoções

A base dos cinco pilares desenvolvidos por Daniel Goleman é o conhecimento das próprias emoções. A autoanálise ou a análise com a ajuda de um psicanalista ou psicólogo, faz com que seja possível entender o que você sente, o que já abre a ala para o segundo pilar.

Controlar as emoções

Infelizmente, muita gente desiste neste segundo pilar da Inteligência Emocional.

O motivo? Bem, segundo o ensinamento de Daniel Goleman, é muito difícil controlar as emoções, uma vez que estamos acostumados a agir diante de um roteiro que estabelecemos inconscientemente.

Mas é possível conseguir controle das emoções.

Raiva, ansiedade, estresse? Qual desses itens atrapalha muito o seu dia a dia?

Há pessoas que acordam bem pela manhã, mas antes de terminar o dia já se encontram corroídas pela ansiedade e pelo estresse.

O primeiro passo para mudar isso é canalizar esses sentimentos negativos em coisas produtivas.

Você pode escrever um diário, fazer um desenho, cuidar da horta no seu quintal. Use seus dons para transformar emoções negativas em produção.

Automotivação

A partir desta etapa, as coisas podem ficar mais fáceis. Ao estímulo do segundo pilar, é possível avançar para o terceiro, que é mudar a sua perspectiva negativa e agir com mais otimismo perante as situações.

Isso não significa que você deve ignorar as coisas ruins que acontecem contigo, mas sim que você deve manter uma postura ao mesmo tempo neutra e abrangente, perante as possibilidades —

eu posso ou não posso conseguir aquele emprego, vou sair de casa com antecedência para não me atrasar e, como o tempo da cidade é imprevisível, levarei um guarda-chuva
, por exemplo —, evitando, assim, que situações imprevistas te chateiem. Você pode começar esse pilar junto com o segundo.

Ter empatia

Também não é de um dia para outro que você aprende a ser empático, mas, aos poucos, tente se colocar no lugar dos outros, fazer menos julgamentos e ser

prestativo
— mas não bobo — quando puder. Às vezes, quando fazemos bem aos outros estamos fazendo bem a nós mesmos.

Relações interpessoais positivistas

Todos nós sabemos como é ruim ter uma pessoa negativa ao nosso lado. Isso, muitas vezes, nos deixa negativos também. Mas, a partir do momento em que você adquire uma Inteligência Emocional, pode usar isso interpessoalmente, nas suas relações, exercitando a empatia alheia e fazendo com que elas sejam mais positivas. Isso melhora muito o ambiente à sua volta.

Qual a importância da Inteligência Emocional para o dia a dia?

A partir do momento que você desenvolve Inteligência Emocional, aprende a lidar de maneira mais positiva nas situações diárias, evitando estresse, raiva e ansiedade, contribuindo para o seu bem-estar e o de todos à sua volta.

Daniel Goleman, psicólogo americano com graduação e doutorado em Harvard, já tem duas indicações ao Prêmio Pulitzer derivadas de seus 12 anos experiência.

0
0