SEGUE
Séries de TV e Filmes

Coleção

cinematograficocinematografico
1 Historia
0 Seguidor
0 Compartilhar

Já ouviu falar do grupo Monty Phyton? Confira um pouco sobre a trajetória deles

Monty Phyton é um grupo de comédia britânico que tornou-se famoso ao final dos anos 60 ao satirizar situações cotidianas e abordar, de forma divertida, assuntos um tanto controversos como religião e política. Isso hoje pode parecer um tanto comum, mas foi revolucionário à época – tanto que há quem compare o fenômeno Python aos também britânicos The Beatles. Nos Estados Unidos, por exemplo, a influência deles pode ser vista em programas como Saturday Night Live e Family Guy.

Além da televisão, o grupo também produziu filmes e peças de teatro. Dentre os filmes, um dos mais marcantes é A Vida de Brian, lançado em 1979. O filme marcou época pela sátira religiosa à figura de Cristo, o que dividiu opiniões: blasfêmia ou genialidade? Não importa se você é religioso ou não, o filme é uma daquelas obras imperdíveis, um clássico da comédia britânica frequentemente listado entre os melhores de todos os tempos. Ou seja, parafraseando a canção emblemática do filme, “Always look on the bright side of life” (sempre olhe para o lado brilhante da vida).

Brian nasceu na mesma época de Cristo e, na Judeia, juntou-se a alguns de seus compatriotas na luta contra o domínio político do Império Romano. Brian é um homem massa, alguém incapaz de viver uma vida autônoma. Como a sua vida é, desde sempre, paralela à de Cristo, ele é confundido, após uma série de eventos improváveis, com o próprio Cristo e torna-se um messias para muitos. Brian agora é um messias, é um profeta e conquista seguidores que acreditam piamente na sua palavra. Incomodando o Império Romano, Brian é condenado à morte de cruz, tal como Jesus o fora. Nesse caminho, as atitudes de Brian satirizam vários personagens e histórias bíblicas, o que provocou a revolta de muitos setores conservadores da época.

Uma das sátiras mais polêmicas é a que trata do apedrejamento dos pecadores pelos judeus. No filme, um homem é condenado à morte por pronunciar o nome “Jeová”. Enquanto o sumo sacerdote explica ao povo o motivo da condenação, ele mesmo pronuncia o nome “Jeová”, o que faz com que a multidão de pessoas jogue as pedras em cima dele, matando-o. A piada com a crucificação e morte de Cristo também provocou protestos: Brian canta e instiga seus companheiros de cruz a cantar, em uma das cenas que entraram para o seleto rol de cenas mais comentadas de todos os tempos.

0