SEGUE
Sobre a vida

Sexualidade Coleção

Luiza NunesLuiza Nunes
11 Historia
0 Seguidor
0 Compartilhar

Doritos Rainbown é o salgadinho oficial do Rock in Rio, renda irá para ONGs LGBT+

A Doritos lançou o Doritos Rainbown, salgadinho oficial do Rock in Rio, a embalagem e o produto são uma reedição de uma edição especial em apoia à causa LGBT+. A embalagem e o produto são coloridos com as cores tradicionais do movimento que simboliza a luta pela liberdade sexual.

O Doritos Rainbown já pode ser comprado em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, ele estará à venda até Setembro, quando ocorre o Rock in Rio.

Além de dar visibilidade para o movimento, a Doritos irá doar toda a renda adquirida com o produto para ONGs ligadas à causa LGBT, são elas: Casa 1, União do Povo de Santa Edwiges, INESC, Wakanda Warriors e Todxs.

“Nada é mais corajoso do que ser você mesmo”

Anna Carolina Teixeira, diretora de Marketing da PepsiCo Brasil afirmou:

“Com o propósito de apoiar a diversidade e reforçar a importância das pessoas terem orgulho de serem elas mesmas, estamos felizes em levar Doritos Rainbow para o Rock in Rio e ampliar a plataforma com novas maneiras de engajamento, para dar voz e apoiar a comunidade LGBTQI+ no Brasil”

A campanha é feita em parceria com a Quebrada Queer, grupo de rap formado por membros do movimento. O preço aproximado do salgadinho é R$ 5.

0
0
0
0
Sexualidade Coleção | Sobre a vida

Pabllo Vittar é recebida na ONU em Nova York, ninguém quis receber Bolsonaro

Pabllo Vittar se apresentou ontem (19) na sede da ONU (Organização das Nações Unidas) em Nova York. A drag queen fez uma pequena apresentação com cerca de 20 minutos onde interpretou alguns de seus maiores sucessos.

“Obrigada Nacões Unidas e Global Citizen pelo convite. Foi uma honra. Vai ter viado na ONU, sim”, agradeceu Pabllo nas redes sociais após a apresentação.

0
0
Sexualidade Coleção | Sobre a vida

Vitória! Supremo decide que homofobia é crime

Em um julgamento ocorrido ontem (13), o Supremo Tribunal Federal decidiu criminalizar a homofobia. Dos 11 ministros, oito votaram a favor da criminalização, com isso, o Brasil se torna o 43º país no mundo a criminalizar as práticas homofóbicas.

Na teoria, o crime de homofobia e transfobia será enquadrado no de racismo, até que o Congresso aprove uma lei especificamente para tratar desses casos.

0