TELEPRESENÇA: SAIBA O QUE É E QUAIS SÃO AS VANTAGENS DESSE MODELO

O avanço da tecnologia vem modificando o cenário do segmento da saúde, sendo a telepresença uma das inovações mais significativas.

Na chamada telemedicina, que consiste no atendimento médico remoto, existe uma série de ferramentas e recursos que permitem que a consulta seja efetiva e segura.

Além das plataformas de telemedicina, que contam com soluções como prontuário eletrônico, videoconferência e laudos online, é possível se beneficiar com a telepresença.

Apesar de muitos a conhecerem como robôs de telepresença, o seu conceito gira em torno da troca rápida de arquivos e informações de forma remota, permitindo diagnósticos ágeis.

Se para os pacientes toda essa inovação é importante porque rompe as barreiras geográficas, garantindo atendimento especializado a qualquer hora e em qualquer local, para profissionais de saúde os benefícios são outros.

Além de aumentar a sua capacidade de atendimento diário, a telepresença otimiza os custos e torna o trabalho cada vez mais consistente, uma vez que é possível conversar com outros profissionais ao redor do mundo através do computador.

Neste artigo, vou explicar o que é telepresença, suas principais vantagens e qual a estrutura necessária para colocá-la em prática.

Mostrarei a diferença entre telepresença e videoconferência e exemplos de robôs que permitem que a prática da telemedicina se consagre cada vez mais no Brasil e no Mundo.

Boa leitura!

O que é telepresença?

A telepresença começou a se configurar devido ao avanço significativo da tecnologia, especialmente após a popularização da internet em meados de 1990.

Entretanto, foi apenas em 1995, com o surgimento da web 2.0, que a comunicação ganhou novos elementos de interatividade, abrindo caminho para as conversas online.

Utilizando câmeras e microfones de alta resolução e usufruindo das vantagens da computação em nuvem, que permite a troca e o arquivamento de informações, os profissionais passaram a se reunir em tempo real, sem a necessidade de deslocamento.

Chegando, assim, ao conceito de telepresença, que é permitir que indivíduos conversem em um mesmo ambiente virtual e realizem reuniões como se estivessem frente a frente.

Com as tecnologias adequadas, as pessoas se sentem fisicamente no mesmo local, mesmo que apenas na teoria, facilitando a troca de informações, experiências e opiniões entre profissionais das mais diversas áreas de atuação.

Qual a importância da telepresença quando aplicada à telemedicina?

A telepresença permite que profissionais de saúde troquem informações, laudos e prescrições médicas à distância, visando obter uma segunda opinião médica ou mesmo compartilhar experiências.

Isso é especialmente útil quando se deseja ter certeza sobre determinado diagnóstico, tratamento ou procedimento, por exemplo.

Além disso, essas reuniões virtuais são importantes pensando no compartilhamento de conhecimentos, seja com estudantes da área ou mesmo com outros colaboradores da mesma instituição que atuam em horários diferentes.

Tudo isso faz com que a promoção da saúde através dos dispositivos de telemedicina se torne cada vez mais especializada e eficiente.

[caption id="attachment_15943" align="alignnone" width="700"] Exemplo de videoconferência, onde apenas as pessoas estão conectadas e conversam remotamente.[/caption]

Qual a diferença entre videoconferência e telepresença?

Apesar de, conceitualmente, parecerem ser semelhantes, há diferenças importantes entre videoconferência e telepresença.

A videoconferência costuma ser utilizada basicamente para conexões entre duas pessoas, não necessitando de muitos recursos tecnológicos.

Normalmente, é preciso que ambos tenham um dispositivo, como laptop ou smartphone, com câmera e microfone e acessem ferramentas como Skype e Google Hangout.

Na telemedicina, a videoconferência costuma ser utilizada para a realização da consulta online, permitindo que o médico consiga conversar e avaliar o paciente com mais clareza.

a telepresença tem um cunho mais corporativo, com conexões multiponto. Várias imagens são projetadas na mesma tela ou em várias telas, compondo um ambiente único, permitindo que todos os usuários consigam interagir entre si.

Para isso, as tecnologias costumam agregar outros recursos com qualidade de imagem e som, para que a experiência da telepresença seja imersiva e o mais realista possível.

Desta forma, os profissionais têm a sensação de estarem conversando em um mesmo local – apesar de estarem geograficamente distantes.

Qual a estrutura necessária para implementar a telepresença?

Para colocar em prática esses encontros e debates virtuais, é importante contar com algumas configurações, equipamentos e espaços específicos.

Em termos de estrutura, tanto na telepresença quanto nas videoconferências profissionais, o contato pode se dar através de um hardware especializado ou um software de telemedicina.

Em ambos os casos, as imagens de vídeo são recebidas, capturadas e tratadas por um servidor denominado MCU (Multipoint Control Unit), para que elas estejam na dimensão adequada para, posteriormente, ser entregues aos usuários.

Logo, é importante que haja um ambiente dedicado para que a reunião ocorra, assim como um isolamento acústico e boa iluminação.

Além disso, o local deve contar com estrutura tecnológica capaz de suportar os sistemas integrados de áudio, vídeo e telecomunicação e, também, oferecer segurança sem que haja perda de desempenho.

Quanto à imagem e ao som, é importante que eles sejam de alta definição, para que a visualização seja clara para todos os participantes da telepresença.

O ideal é utilizar monitores com telas grandes, para que seja possível obter as imagens dos participantes em tamanho real.

O sistema de som deve ser ajustado para reforçar a sensação de que os profissionais estão frente a frente – e não separados por uma tela de computador.

Quais são os principais tipos de robôs de telepresença?

Também conhecidos como robôs da telemedicina, os robôs da telepresença são responsáveis por modalidades como a telecirurgia, que são as cirurgias realizadas à distância.

Eles oferecem diversos benefícios aos médicos porque otimizam procedimentos complexos e diminuem as atividades manuais, permitindo a realização de um atendimento mais humanizado.

Existem 4 robôs que merecem destaque:

1. Micro robô

Desenvolvido em 2017 por engenheiros biomédicos da Universidade da Califórnia, o micro robô possui como principal habilidade a de transportar antibióticos no organismo do paciente.

Para combater a úlcera causada pela bactéria Helicobacter pylori, o micro robô atua de forma a aumentar a dispersão do medicamento do organismo, bem como na sua potencialização.

Além de eficaz, o grande diferencial da sua utilização é o fato de ser capaz de reduzir os efeitos colaterais advindos do uso contínuo desse tipo de remédios, como:

    Náusea;Dor de cabeça;Ansiedade;Alterações intestinais.
[caption id="attachment_15944" align="alignnone" width="700"] Disponível no Brasil desde 2008, sua principal função é trazer precisão para a cirurgia.[/caption]

2. Robô Da Vinci

Esse robô é apontado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) como a tecnologia mais avançada no setor de saúde no Brasil.

Ele atua no país desde 2008, após ser importado da empresa Intuitive Surgical, mas já realizou mais de 5 milhões de cirurgias em 66 países.

Contando com 4 braços robóticos e realizando incisões milimétricas, ele realiza diversos tipos de cirurgia, inclusive usando mais de um instrumento.

Mas engana-se quem acredita que ele faz tudo sozinho. Na verdade, ele é guiado por um cirurgião e acompanhado por, no mínimo, mais dois médicos e um anestesista, todos especializados em telecirurgia.

Mas então qual o seu papel? Ele conta com uma visão ampliada em 15 vezes e com 3 dimensões distintas, permitindo enxergar com muito mais clareza a área da cirurgia.

Além disso, o profissional de saúde se mantém em uma posição confortável e ergonômica, guiando o Da Vinci através de um joystick com formato de dedais.

Isso torna cada ação mais firme e consistente, não havendo riscos de tremer, por exemplo.

3. Robô RP-7

O RP-7 é definido como uma plataforma de comunicação, sendo constituída por um robô e uma estação de controle – ligados através de uma conexão banda larga segura.

Através dele, o médico pode realizar teleconsultas, conduzindo o robô até o paciente e ou a equipe médica local.

A plataforma é vista como uma aliada na promoção de atendimento médico de qualidade, sendo muito útil em situações de emergência e também de doenças infectocontagiosas – garantindo a segurança dos profissionais, bem como a sustentabilidade do sistema de saúde.

4. Robô Double

Trata-se de um sistema móvel de controle remoto para a realização de telepresença, proporcionando conversas por vídeo e áudio de qualquer lugar e em qualquer momento.

Ele conta com os mesmos sensores de um robô de brinquedo, movimentando-se com um giroscópio e acelerômetro.

Além disso, não cai com facilidade, uma vez que conta com algoritmo de equilíbrio – mesmo em meio a obstáculos.

Como os robôs de telepresença funcionam?

Apesar de alguns robôs possuírem funcionalidades específicas, em geral eles foram criados para proporcionar a realização de telecirurgias, em que mais de um profissional pode participar à distância.

Nesse tipo de procedimento, o médico consegue guiar os braços do robô mesmo sem estar fisicamente no local, assim como contar com uma visão ampliada em 3D da área afetada.

Desta forma, os cortes cirúrgicos passam a ser menores, já que os braços robóticos possuem tamanho reduzido, além de contarem com microcâmeras de vídeo acopladas e terem movimentos altamente precisos.

Esse fato faz com que a recuperação do paciente seja mais breve e menos dolorosa – afinal são eliminados pequenos tremores e ações bruscas que podem comprometer a estrutura.

A tecnologia é benéfica também pensando nos futuros profissionais da medicina, pois eles podem acompanhar mais procedimentos à distância e, assim, sair com uma bagagem muito maior de conhecimento prático.

Os pacientes também acabam se beneficiando dessa possibilidade, especialmente aqueles que moram longe dos grandes centros urbanos, cujos hospitais não possuem especialistas de todas as áreas.

Exemplos de aplicação do sistema de telepresença

As principais aplicações são na realização de cirurgias à distância, em que os médicos comandam os robôs virtualmente, e na promoção de diagnósticos através de imagens de altíssima definição.

Neste último caso, proporciona mais rapidez e assertividade nos tratamentos, evitando que ocorram consequências mais graves para os pacientes.

A partir da telepresença, é possível realizar ainda:

    Prescrições médicas à distância;Acompanhamento dos pacientes remotamente;Consultas remotas;Monitoramento e instruções de equipe médica.

Telepresença e redução de custos para clínicas médicas

À primeira vista, o investimento inicial para aderir à telepresença pode parecer alto, uma vez que envolve a aquisição de equipamentos e softwares, sem falar na instalação e manutenção.

Tudo isso pode variar entre 30 mil e 500 mil dólares – dependendo da necessidade da organização e da tecnologia envolvida.

Quanto mais equipamentos, especialmente se envolver os robôs, maiores serão os custos.

Entretanto, se colocar na ponta do lápis, empresas de grande porte podem gastar até 2 milhões de reais mensalmente apenas com viagens de profissionais para encontros, reuniões e realização de procedimentos.

Esse custo pode ser ainda maior se a instituição atuar em países diferentes, sem falar que a distância e a espera podem levar a perda de atendimentos.

Somando tudo isso, mais os custos fixos com especialistas e os demais equipamentos necessários para manter o ambiente hospitalar em funcionamento, é o que faz com que a telepresença se pague rapidamente.

Sem falar que a empresa acaba tendo um ótimo retorno sobre investimento, uma vez que reduz substancialmente os demais gastos costumeiros.

Principais vantagens da telepresença na telemedicina

1. Continuidade no atendimento médico

Os robôs de telepresença proporcionam atendimento em tempo real, o que é especialmente benéfico em situações de emergência.

Mesmo em casos atípicos, como pandemias, os profissionais de saúde podem continuar atendendo normalmente seus pacientes, através de uma plataforma médica.

Mas atenção: é importante utilizar uma das plataformas criadas exclusivamente para a área da saúde, pois elas fornecem segurança de dados e funcionalidades importantes, como prontuário eletrônico e teleconsulta.

2. Personalização e agilidade no tratamento

Com os robôs oferecendo respostas rápidas, o médico consegue personalizar os tratamentos dos pacientes e intervir rapidamente, quando necessário.

Tudo isso torna o atendimento médico online eficiente na prevenção da saúde, ajuda na redução de custos e recuperação rápida do indivíduo.

3. Visão e imagem ampliada em HD e 3D

Os robôs de telepresença produzem imagem de altíssima qualidade, permitindo uma visão ampliada e assertiva para a realização dos procedimentos e demais tipos de atendimentos.

4. Ergonomia proporcionada pelos robôs

Durante as cirurgias tradicionais, é comum que os profissionais tenham esgotamento físico, justamente por passarem muito tempo na mesma posição, realizando movimentos contínuos.

Nesse sentido, os robôs também garantem uma ergonomia mais adequada, pois o médico pode se manter sentado controlando sua ação, enquanto os movimentos complexos são realizados de forma simples e rápida pelos robôs.

Conclusão

A telepresença é mais um avanço que a telemedicina trouxe para o atendimento médico e o sistema de saúde como um todo.

Através dela, é possível trocar informações e dados com profissionais que estejam em locais distintos, como se estivessem em uma reunião presencial.

Neste artigo, abordei mais sobre esse conceito e trouxe 4 robôs da telepresença que vem sendo utilizado no Brasil, oferecendo benefícios para médicos e pacientes.

Mostrei também as principais vantagens da telepresença, com destaque para a redução de custos e a otimização dos atendimentos.

A Telemedicina Morsch proporciona que as consultas médicas sejam realizadas à distância de forma segura e eficiente.

Através da sua plataforma, profissionais de saúde e pacientes podem realizar teleconsultas para garantir um diagnóstico preciso – mesmo que estejam localizados em países diferentes.

Para conhecer mais sobre teleconsulta, acesse agora mesmo este link.

Este artigo foi originalmente publicado em https://telemedicinamorsch.com.br/blog/telepresenca

00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
00
Mobil uygulamamızı indirdiniz mi? Hemen indir